Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

O Caim que há em muitos de nós - sem controle e homicida.

Disse o Senhor: "O que foi que você fez? Escute! Da terra o sangue do seu irmão está clamando. (Gênesis 4.10 NVI)

Este um versículo da Bíblia do trecho que narra o primeiro homicídio ocorrido na humanidade.

Na pandemia da Covid-19 estamos lidando com muitas mortes. Como se centenas de aviões estivessem caindo diariamente em todo o mundo. Os números são alarmantes, mas parece que isto já não nos comove. Tenho lidado com a situação atual um tanto mais de perto e observamos que esta enfermidade está revelando a natureza e o coração de muitos.

A bem da verdade, carregamos o mal do primeiro homicídio dentro de nós. Embora, muitas das vezes não nos demos conta, somos homicidas quando matamos o outro, ainda que indiretamente, através de atos de nossa parte que têm raiz no egoísmo, orgulho, vaidade, inveja...

Refletindo sobre o primeiro homicídio, quando Caim matou seu irmão Abel, questionei: Será que sabemos, verdadeiramente, a importância de cada vida para Deus? Penso que estamos nos enganando ainda hoje quanto a isto.

Olhando em volta para a situação, concluo que essa pandemia revela mair uma vez os Cains que há dentro de nós. Homicidas e filhos do engano, onde tudo o que querem é realizar seu desejo interior. Assim como Caim, procedemos mal... Nosso egoísmo grita mais alto que a vida do outro.

Na criação, Caim podia ouvir a Deus diretamente. Deus falou com ele para refletir e não fazer o que desejava em seu coração.

Se você fizer o bem, não será aceito? Mas, se não o fizer, saiba que o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo". (Gênesis 4.7 NVI)

Caim escutou, mas não deu ouvidos a voz de Deus. Na história, depois de cometer o assassinato, Deus agora manda ele escutar o sangue do irmão que clamava da terra.

Todo o tempo é preciso ouvir. Ouça, Caim!

A responsabilidade de dominar os desejos e inclinação para o mal é nossa! Deus nos deu liberdade para isto. Mas, muitos estão presos a esta raiz de pecado. Homicidas, sem controle e filhos da mentira e do engano.

Desde o princípio a maior lei de todas está sendo quebrada: a lei do amor. O amor está se esvaindo e esfriando em proporções desastrosas. Estamos sendo cada vez mais dominados por nossos desejos egoístas. Para reverter esta situação, antes de tudo é preciso ouvir a voz de Deus. Ouça!

Somos assassinos. Como Caim, matamos quando não damos ouvidos a voz de Deus. Não damos ouvidos à lei do amor. Quando realizamos o desejo do Diabo, homicida desde o princípio. Em seu ministério terreno, Jesus alertou que muitos são incapazes de ouvir a voz de Deus, mas aquele que pertence a Deus ouve o que Deus diz (João 8.42-47).

Em meio a tantas vozes, que voz estará ecoando em nossos corações? Será que o que está em Gênesis 4:10 é o que vamos ouvir da parte de Deus? Falo em especial em relação a toda esta situação de Pandemia da Covid-19 que estamos vivendo, matando e morrendo.

A rebeldia e desobediência às recomendações sanitárias está absurda. O vírus ganha força, se propaga e contamina várias pessoas que têm perdido suas vidas ou de seus entes queridos. Muito do que está acontecendo é por uma questão comportamental de desobediência. Há quem não queira usar a máscara recomendada. Quem saia sem proteção, estando com diagnóstico de Covid sabendo que é uma doença transmissível. Há quem esteja aglomerando e não dando importância para as recomendações de isolamento social. Quem não respeite o distanciamento social também orientado pelas autoridades sanitárias diante da atual situação que o mundo enfrenta.

Enquanto cristãos, se devemos ouvir, também não podemos nos calar diante de tudo o que temos visto! O apóstolo Paulo escreve a Tito recomendando que "Lembre a todos que se sujeitem aos governantes e às autoridades, sejam obedientes, estejam sempre prontos a fazer tudo o que é bom, não caluniem ninguém, sejam pacíficos, amáveis e mostrem sempre verdadeira mansidão para com todos os homens." (Tito 3.1,2 NVI)

Não falta informação. Falta dar ouvidos. Falta sujeição às autoridades. Somos orientados e recebemos informações e recomendações quanto ao que fazer para nos proteger. Cumpre a nós usar meios e medidas, concretas e comprovadas cientificamente, para evitar a disseminação deste vírus. Mas, não damos ouvidos... E ainda acusamos e jogamos pedras nas autoridades que se empenham em conhecer as ações do vírus para elaborar planos de proteção e instruções para a população.

Ouça! Ainda dá tempo! Vamos nos proteger e proteger a quem está à nossa volta.

Que Deus nos dê graça e que a luz de Cristo brilhe através de nossas vidas. Que o desejo dos Cains dentro de nós não nos domine! Que os desejos, enganos e mentiras de um coração corrupto, orgulhoso e homicida não nos domine! Que sejamos luz para o mundo e nações!

Em Cristo, Micheline Lopes de A. Souza.
Cristã, teóloga, enfermeira, docente, especialista em saúde da família e mestre em saúde coletiva.
Cuiabá - MT
Textos publicados: 3 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.