Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Por Escrito

Um livro para ler a vida toda: O Regresso do Peregrino

Por Paulo F. Ribeiro | Resenha
 
O Regresso do Peregrino foi um dos primeiros livros de C.S. Lewis que li – e continuo lendo –, com grande proveito.
 
A primeira coisa que chamou minha atenção foi o capitulo 1, sobre “As Regras” e a inconsistência da comunicação na transmissão do cristianismo.  A figura do Mordomo, e Proprietário e escritor das regras as quais João tem que obedecer, mas que proíbem coisas que João não entende ou faz continuamente e não saberia como parar, causam grande confusão em sua mente.  
 
Essas contradições e outras experiências levam João a não querer saber mais sobre o Proprietário ao mesmo tempo em que começa a ouvir uma música e ver através de uma janela um bosque e uma ilha desejável. João finalmente segue pelo bosque até a ilha e encontra uma garota morena nua que lhe tenta e ali ele tem sua primeira experiência sexual – e pensa ter encontrado a ilha da felicidade.  
 
Após algumas visitas ele reconhece que não é isto que lhe traz a alegria que ele tanto deseja. Daí ele viaja para o mais longe possível da montanha do Proprietário das Regras e peregrina entre o Norte do Intelectualismo Frio e o Sul da irracionalidade Apaixonada.  Nesta jornada João encontra muitos personagens, cada um representando uma linha filosófica ou religiosa.  Sr. Sensato, Sr. Largo, Sr. Humanista, Sr. Iluminismo, Sr. Meio do Caminho, Sr. Virtude, Mãe Kirk e muitos outros.
 
Nesta peregrinação perigosa e quase faltal João progride do realismo popular ao idealismo filosófico, do idealismo ao panteísmo, do panteísmo ao teísmo e, finalmente, João vai a Mãe Kirk (Igreja) que o guia na decisão de mergulhar no lago e através de um túnel atingir o Castelo do Proprietário. 
 
O livro tem passagens emocionantes, questionáveis (sobre um possível racismo quanto a garota morena nua que tenta João) e também difíceis de entender – pois se referem ao contexto cultural, intelectual e acadêmico da Inglaterra do começo do século 20.  Mas, mesmo depois de 34 anos de leitura ainda não esgotei minha admiração por este pequeno livro em defesa do cristianismo, escrito em 15 dias enquanto Lewis estava de férias em sua terra natal, Belfast.    
 
A visão e o alcance de O Regresso do Peregrino ultrapassam o contexto cultural e temporal do período em que foi escrito. Quando minhas filhas eram adolescentes, após as refeições e leitura bíblica, discutíamos capítulos deste livro, dos quais elas ainda se lembram muito bem – especialmente o capitulo das Regras. Fico grato que, assim como João (Lewis), elas cresceram e entenderam que tanto as Regras eram distorcidas, como as demais filosofias, ideologias e religiões eram falsas, e a mensagem do cristianismo, verdadeira.

Leia mais
» Eu também comecei em “Puritânia”, de O Regresso do Peregrino
» Ficção, alegorias e mitos podem fortalecer a fé cristã?
 
Doutor em engenharia elétrica pela Universidade de Manchester, na Inglaterra, é pesquisador e professor na Universidade Federal de Itajubá, MG. É originário do Vale do Pajeú e é torcedor do Santa Cruz.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Por Escrito

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.