Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Por Escrito

O convite de Jesus é para mim também?

Por Vanessa Oliveira
 
Filha de pais cristãos, eu “nasci na igreja”. Desde sempre frequentei a escola dominical e os cultos aos domingos. Fazia as lições em casa com meus pais, participava de gincanas bíblicas, grupo de dança, reuniões de juniores... e todas as outras atividades que a igreja oferecia. Eu gostava de estar naquele lugar, com aquelas pessoas, brincando, cantando e ouvindo histórias que eu achava incríveis. Eu me sentia, sim, parte daquele corpo, mas com o tempo descobri que aquilo não era suficiente e que a vida cristã ia além daquele convívio. 
 
Na minha infância e adolescência, sempre ouvi histórias de pessoas que conheceram o evangelho em acampamentos e trabalhos evangelísticos, que “entregaram a vida a Jesus” em momentos de apelo e tiveram a vida mudada a partir dali. Aquela realidade era distante da minha e algumas coisas que eu ouvia não faziam tanto sentido. Eu conhecia as histórias bíblicas, decorava versículos... Aquele convite também era para mim? Eu deveria fazer algo para também ter esse tal “encontro com Jesus”? Eu tinha toda a teoria, todos os instrumentos, só me restava aplicá-los e, de fato, viver o evangelho.
 
Não me lembro do dia ou momento exato em que me converti. Aceitar Jesus como Senhor da minha vida para mim foi, além de tudo, um processo de perceber a vida cristã no meu dia a dia, nos detalhes, nas pequenas mudanças de comportamento, mesmo sendo adolescente. As coisas iam se encaixando na minha cabeça e, em algumas pequenas atitudes e gradativamente, eu percebia que a minha vida se tornava cada vez mais intencional, que muitos pensamentos e prioridades já não eram mais os mesmos e que aquele era o caminho que eu deveria trilhar.
 
Tive o privilégio e a alegria de ter conhecido o evangelho na infância. Agora, na minha juventude, vejo como a igreja e a minha família foram (e ainda são) muito importantes no fortalecimento da minha vida cristã. Ao longo dessa caminhada, quando percebo o cuidado e o amor de Deus por mim através deles, me sinto disposta e encorajada a seguir o caminho que Jesus aponta; servindo com alegria e vivendo por aquele que me amou primeiro.
 

Vanessa Oliveira tem 23 anos e é auxiliar editorial na Editora Ultimato.
  • Textos publicados: 22 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Por Escrito

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.