Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Das montanhas da Ásia para o Vale do Paraíba

Projeto missionário envia alunos para aperfeiçoamento profissional no Brasil

Por Helen Schmidt

Ele estuda Artes Visuais na UNIVAP, em São José dos Campos. Ela, é caloura de Gastronomia no SENAC, em Campos do Jordão. O talento exuberante de ambos se destaca assim como a origem, a história de vida e o fato de ambos serem frutos do trabalho missionário daqueles que adotaram uma comunidade como parte da sua própria família.
Ele é Inu Bere, de 21 anos. Ela é Celina Tilman, 24. Nasceram e foram criados no Timor-Leste, país localizado no Sudeste Asiático, a noroeste da Austrália. A história de vida destes jovens inspira quem os conhece, especialmente os conterrâneos timorenses do povoado localizado nas Montanhas chamado de Kabas Fatin, em Aileu. O fato de estarem estudando e se aprimorando no Brasil atualmente é motivo de orgulho e emoção para seus familiares e para os amigos do projeto ao qual eles representam e tanto amam, que é a Associação Projeto Montanha.

Fundado em 23 de agosto de 2012, o Projeto Montanha tem despertado, potencializado, treinado e enviado jovens em diferentes áreas rumo ao sonho e conquista de novos patamares como cidadãos do mundo e “príncipes e princesas do Senhor”, como o casal de missionários brasileiros Eduardo e Gisele Trucco, fundadores deste projeto no Timor Leste, costumam definir. “Nossa missão é usar todas as ações e recursos disponíveis para o desenvolvimento integral da comunidade local, amando e servindo o povo timorense, como Jesus os amaria! Buscando ser referência não só para o Timor-Leste, mas para toda a Ásia!”

Arte e Missão nas Telas e na Cozinha

“Projeto Montanha é minha segunda casa. Nele posso ver o horizonte e enxergar além!”, disse o Inu Bere, que antes mesmo de ingressar no curso de Artes da Univap no Vale do Paraíba já expunha suas obras em importantes salas de exibições como Xanana Gusmao Reading Room, Museum & Art Gallery, em Díli, capital do Timor Leste. Também possui telas vendidas em quase 10 países. Em uma de suas exposições, denominada “Nomes da Liberdade”, o artista pintou o rosto de grandes heróis desde 1975 até os dias contemporâneos.

Para Inu Bere, o Projeto Montanha é um meio para o conhecimento, visando oferecer, nos próximos anos, oportunidade de aprendizado de qualidade. “A arte é também educação”, resumiu o artista que tem nesta causa o seu propósito de vida. 50% de todas as suas obras são revertidas para crianças e jovens atendidos pelo Projeto Montanha.

Para Celina, que hoje se prepara para o desafio gastronômico de potencializar futuros talentos no Timor-Leste e difundir a culinária local, a vinda para o Brasil é também uma oportunidade incrível de conhecer a cultura brasileira e regressar ao seu país habilitada para influenciar a próxima geração. “Quando regressar ao Timor, quero mostrar que podemos fazer mais do que cozinhar para matar a fome. Podemos fazer muito além disso, pois Deus nos chama para o crescimento, mas é necessário somarmos nosso esforço com a nossa fé nele!”, disse a estudante timorense.

Celina começou no projeto fazendo desenho e crochê. Optou pela culinária e foi grandemente influenciada por programas como Master Chef. Quinhentos jovens já passaram pelo curso básico de culinária no Projeto Montanha e aguardam o retorno da futura chef Celina para expandirem seus conhecimentos e voarem tão alto quanto esta jovem inspiradora.

Conhecendo o Projeto Montanha

Há dez anos o arquiteto Eduardo e sua esposa Gisele decidiram fazer as malas juntamente com seus dois filhos, em idade escolar, e subirem as montanhas do Timor com o desejo de servir e amar o povo timorense. Inicialmente levaram instrução e prevenção às famílias através da fabricação de fogões mineiros, possibilitando que a fumaça, que era a causa principal de graves problemas de saúde na comunidade, pudesse ser devidamente conduzida para o lado externo das habitações. O Kit higiene, foi outra estratégia bem-sucedida. Com ele, a comunidade recebe até hoje, gratuitamente, itens básicos para manter a higiene adequada e com isso evitar inúmeras doenças.

Mesmo com o sucesso das primeiras iniciativas, o casal decidiu por expandir e desenvolver atuações menos itinerantes e focar os trabalhos numa sede multidisciplinar capaz de formar jovens através de diferentes iniciativas nas áreas de educação, cultura, arte, saúde, nutrição, agricultura e construção civil, entre outras. Deste modo, diversas atividades são realizadas na base do Projeto Montanha, o que tem despertado a comunidade a conquistar patamares outrora improváveis numa região tão carente de recursos básicos e acesso à educação de qualidade.

Com muito trabalho e dedicação a família Trucco tem construído, ao longo destes dez anos, uma instituição que virou referência e até ponto turístico para quem visita a ilha. “É comum os estrangeiros subirem as montanhas para ver o que acontece por aqui”, relatou Gisele. “Com isso, nosso restaurante chega a realizar 80 refeições nos fins de semana".

Em 2018 foram atendidos mensalmente pelo projeto: 140 alunos, 10 funcionários, 5 monitores, além das 28 frentes geração de renda e 32, de treinamento integral. O projeto obteve reconhecimento nacional, recebendo diversas visitas de líderes do Governo e Embaixadas. Com a expansão e o crescimento, que atualmente conta até com um canal de TV na Internet, a TV Montanha, que visa alcançar outros distritos e aldeias, a necessidade por aprimoramento profissional também aumentou assim como o sonho por um Instituto amplo e auto sustentável para que a próxima geração de meninos e meninas timorenses se tornem mestres, artistas, chefs e profissionais de alto padrão capazes de formar outros profissionais num ciclo de aprendizado e desenvolvimento, como uma grande missão conjunta. Assim, a visão do alto da montanha será capaz de projetar com ainda maior impacto a vida daqueles que ousam sonhar!

Para conhecer o projeto basta acessar aqui.

Helen Schmidt é jornalista e missionária. Morou dez anos nos EUA onde trabalhou em publicações cristãs. Com seu esposo realizou iniciativas de Artes e Missões no estado de São Paulo.

Leia mais: 
» Todos podem fazer missões
» Educação e missões: Experiências de uma missionária no Nordeste

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.