Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Prateleira

C. S. Lewis, 121 anos. Feliz ano velho

Por Marcos Bontempo

As duas últimas semanas de novembro marcam os 56 anos da morte e 121 anos do nascimento de C. S. Lewis — talvez, o maior pensador cristão do século 20.

Embora nos últimos anos Lewis tenha se tornado figurinha carimbada nas redes sociais e destaque entre os lançamentos que movimentam o mercado editorial brasileiro, Ultimato e uma multidão de leitores cristãos são velhos conhecidos do criador das Crônicas de Nárnia.

No Congresso Nacional da Aliança Bíblica Universitária (ABU) de 1981, em Belo Horizonte, comecei a ler — e a grifar com lápis de cor — meu primeiro Lewis, “Cristianismo Autêntico”, então publicado pela ABU Editora, hoje “Cristianismo Puro e Simples” (Thomas Nelson).

No início dos anos 90, recebemos aqui na Editora Ultimato os primeiros contratos internacionais — pasmem, datilografados — dos três títulos que formam a trilogia cósmica do autor. E, por algumas razões, além da minha estupidez, não publicamos.

Finalmente, em 2005, Ultimato publicou dois livros que se tornaram "long-sellers" da casa. O primeiro, do psiquiatra e professor de Harvard Armand Nicholi, Deus em Questão – C. S. Lewis e Freud debatem Deus, amor, sexo e o sentido da vida; e o segundo, Um Ano com C. S. Lewis, uma seleção preciosa de leituras diárias das obras clássicas de Lewis.

Depois, vieram Lendo os Salmos, Surpreendido Pela Alegria, em que Lewis conta a sua história de conversão e, no final de 2016, Leituras Diárias das Crônicas de Nárnia, de novo, uma coletânea de tirar o fôlego e, nesse caso, como o nome sugere, dos sete volumes das Crônicas de Nárnia.

Nos últimos dois anos, entre 2017 e 2019, publicamos Até Que Tenhamos Rostos, uma ficção, para alguns a obra definitiva de Lewis, e O Regresso do Peregrino, uma espécie de paródia do clássico O Peregrino, de John Bunyan, que mostra a busca de C. S. Lewis por significado e realização espiritual, que, enfim, o levaria ao cristianismo.

Em dezembro, é a vez do romance premiado e ainda inédito no Brasil Uma Misericórdia Severa – A influência de C. S. Lewis numa comovente história de amor, de Sheldon Vanauken. Spoiler: O livro revela as cartas de C. S. Lewis que transformaram uma história de amor.

Feliz ano velho.
É diretor editorial da Ultimato.
  • Textos publicados: 180 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Prateleira

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.