Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

O que vem primeiro?

Há uma milenar discussão a respeito da fé que nos leva às obras, ou das obras sociais que nos conduzem à salvação das nossas almas por termos um coração corrupto que nos induz a cometer pecados.

A Palavra de Deus afirma: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas" (Efésios 2. 8-10).

Também lemos: "todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus (...) Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei" (Romanos 3 21-31 / parte).

Ainda o Apóstolo Paulo: "Sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei e sim mediante a fé em Cristo Jesus, temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois por obras da lei, ninguém será justificado (...) Não anulo a graça de Deus; pois, se a justiça é mediante a lei, segue-se que morreu Cristo em vão" (Gálatas2 16-21 / parte).

Fica, em alguns, a dúvida: o que veio primeiro, as obras que nos levaram à fé? Ou é a graça, mediante a fé, que nos conduziu à salvação, cujos resultados, cujos frutos são as obras tanto sociais como espirituais?

O Senhor Jesus quando curava alguém, seja qual fosse a doença, via de regra dizia:, "vai e não peques mais, a tua fé te salvou"; os salvos, então, passavam a praticar a obra espiritual, seguindo o Senhor:

• Fazer discípulos/ensinar (Mateus 28.19);

• Pregar o evangelho a toda criatura (Marcos 16.15);

• Testemunhar de Cristo até aos confins da terra (Atos 1.8);

• Até doar seus bens para seguir o Senhor Jesus [o jovem rico não quis, mas Zaqueu se dispôs a fazê-lo].

Fosse por obras materiais (sociais) e os pobres teriam muito menos possibilidades de alcançar a salvação, pois o que têm, muito pouco, mal dá para a sobrevivência deles próprios.

Pensemos nos companheiros de crucificação do Senhor Jesus, um zombou, outro respeitou a Cristo e disse: "lembra-te de mim quando entrares no teu reino"; e a resposta imediata foi: "hoje mesmo estaremos juntos no Paraíso"; qual foi a boa obra que este fez? Na verdade não fez, pois sua vida foi rica em delitos. Foi só a fé!

O que valeu mais, a oferta dos ricos, que davam do que lhes sobrava, ou da viúva pobre que deu tudo o que tinha, duas moedinhas?

Foi a fé dessa mulher que a levou a abrir mão de tudo, por certo consciente de que Deus não deixaria que lhe faltasse alguma coisa; a Palavra de Deus até nos afirma: "fui moço, agora sou velho, mas jamais vi o justo a mendigar o pão".

Busquemos a Deus enquanto é possível achá-Lo diz o profeta; o dia é hoje de tomar uma decisão por Cristo, amanhã pode ser muito tarde, pois "ninguém sabe o dia e nem a hora" da nossa partida; mister se faz, todavia, que não nos olvidemos das necessidades do próximo, quer espirituais, quer materiais, pois como bem disse Tiago: "a fé sem obras é morta!"

Pense nisto!
São Paulo - SP
Textos publicados: 568 [ver]
Site: http://www.sefiel.com.br

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.