Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Saudade do meu velho

Marcos Amazonas

Parecia que seria um dia como outro qualquer. Um dia normal, dentro das atividades normais. Levantei-me cedo para levar os filhos à escola e depois encontrei-me com um amigo para levá-lo ao aeroporto. Decidi pegar alguns CD’s para podermos ouvir durante o percurso que faríamos.

A vida nos apronta cada surpresa. Estávamos falando tranquilamente. Conversamos sobre família e, sem perceber, o CD que ouvíamos era “A Luz do Solo”, de Toquinho. Fui levado para minha querida Manaus, minha terra natal, que trago impregnada em mim. Lembrei-me das tardes que ficava deliciando-me com as músicas de Vinícius e Toquinho. Foi neste momento que bateu uma saudade danada do meu “velho”.

Falei ao meu amigo que o “velho” era especial, mas disse-lhe que a minha grande confidente era minha mãe. Ela foi modelo de cristianismo. Mas meu Pai, ah, o “velho” era especial.

A saudade chegou sem pedir permissão. Alojou-se no meu peito e apertou todo meu ser. Deixou-me sem palavras, com um grande nó na garganta...

Minha memória é musical. Tenho músicas para ocasiões especiais da minha vida e para pessoas especiais, e o meu “velho” era muito especial. Aquele jeito brincalhão dele... amigo dos seus amigos. Generoso e uma pessoa que dizia o que tinha que ser dito sem medo. O “velho” era um cara sensacional, alguém que amou do seu jeito, e isto foi complicado no princípio, mas lembro-me do dia da formatura da minha irmã em direito. Ele estava realizado. Já não era o mesmo, estava debilitado por causa dos AVCs, mas falamos e disse-lhe que o seu grande sonho estava concretizado, pois agora tinha um filho formado em direito e ele me disse que ainda havia tempo para eu estudar.

Falei um pouco com o meu “velho” e naquele dia ele falou com a voz embargada que nunca nos pode dar grandes coisas, mas deu-nos o que podia: educação e um nome. Disse-lhe que ele nos tinha dado o melhor. Falei que sentia orgulho de tê-lo como pai. Como gosto de contar suas histórias e ouvir as histórias acerca daquele “velho”...

O CD de Toquinho ficou tocando o tempo todo. Ouvi o CD o dia todo. Ouvi a música com meu filho que se encanta com a musicalidade de Toquinho, mas eu a ouvia recordando aquele adolescente que desfrutava momentos a escutar músicas no seu aparelho 3 em 1. Lembrei daquele menino que sonhava com o seu futuro ao ouvir a canção “O Filho Que Eu Quero Ter”. Imaginava-me como meu “velho”, querendo ser como ele, e hoje olho e vejo que paradoxalmente tudo aquilo que eu negava naquele Velho carrego em mim. Seus gestos e trejeitos. A aparência física e até mesmo a capacidade de falar que ele tinha como um dom natural.

Vai fazer dois anos que meu “velho” dormiu. Parece que foi ontem; tive a oportunidade de dizer-lhe adeus. Saí de Coimbra para Manaus só para me despedir. E pude dizer ao meu “velho” o que diz a canção de Toquinho:

“Dorme meu pai sem cuidado,
Dorme que ao entardecer,
Teu filho sonha acordado,
Com o filho que ele quer ter”

Sonhei antes com o filho que queria ter. Hoje tenho um filho, mas tive a oportunidade e o privilégio de dizer ao meu “velho” que podia dormir descansado, pois nós estávamos bem.

Só espero que meus filhos um dia tenham o mesmo orgulho do pai como eu tive e tenho do meu “velho”, que foi colega de ministério, amigo, pai e acima de tudo irmão.


• Marcos Amazonas, “caboclo amazonense”, é pastor da Igreja Batista em Coimbra, Portugal.

Siga-nos no Twitter!

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.