Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Por uma latinidade “evangelica y brasileña”

Escrevo este artigo após reler textos e documentos dos quatro congressos de evangelização realizados na América Latina (CLADE’s 1, 2, 3 e 4), na expectativa da participação no CLADE 5 em San Jose, Costa Rica, que começa hoje, dia 09, e vai até sexta-feira, dia 13. Integro uma comitiva de cerca de 50 brasileiros. 
 
Cada congresso foi marcado pela conjuntura e pelo contexto de sua época, definindo as agendas, os debates, as decisões e as reflexões acerca da missão da igreja. Entretanto, eles também foram marcados pela tentativa de refletir teologicamente e de fazer missão a partir do contexto latino-americano. Por um lado, deu-se a crítica ao pragmatismo reacionário e fundamentalista dos evangélicos norte-americanos e, por outro, o distanciamento teológico dos organismos ecumênicos com a teologia liberal por trás.
 
CLADE 1 teve como tema “Ação em Cristo para um continente em crise”, reunindo cerca de novecentos participantes que aprovaram a histórica “Declaração Evangélica de Bogotá”. Realizou-se de 21 a 30 de novembro de 1969 e seu resultado principal foi o nascimento da Fraternidade Teológica Latino-Americana (FTL), agregando teólogos(as) engajados na reflexão e na ação de uma missão integral de rosto latino-americano. A FTL passou a convocar e a organizar os demais congressos. 
 
CLADE 2 teve como tema “Para que a América Latina ouça a voz de Deus” e aconteceu em Lima, Peru, de 31 de outubro a 9 de novembro de 1979. O continente ainda estava em crise com as ditaduras militares e o tema refletiu o Congresso de Lausanne em 1974 com seu histórico “Pacto de Lausanne”, enfatizando a responsabilidade social da igreja.
 
CLADE 3 aconteceu de 24 de agosto a 4 de setembro de 1992 com o tema “Todo o Evangelho para todos os povos desde a América Latina”, em Quito, Equador. Mais de mil participantes representaram a multifacetada igreja latinoa-maericana, com a presença de indígenas, mulheres, leigos, pastores, acadêmicos, estudantes, da maioria dos países do continente.
 
CLADE 4 se reuniu de 2 a 8 de setembro de 2000 também em Quito, com 1.300 pessoas participantes. Segundo Longuini Neto (1992), a FTL atestou “a trajetória histórica dos outros três congressos” e estabeleceu “o compromisso com o espírito de Lausanne”. 
 
CLADE 5 terá como tema “Sigamos a Jesus em seu Reino de vida. Guia-nos, Espírito Santo!”. Esperamos atualizar a agenda da missão e da pastoral, a partir do seguimento radical de Jesus em seu Reino de vida, guiados pelo seu Espírito. 
 
A posição “evangelical” dos CLADE’s e da FTL tem sido um diferencial na história da missão e da evangelização do continente, nas últimas quatro décadas. Ela transita entre os fundamentalistas e os liberais, questionando as polarizações entrincheiradas oriundas do contexto pós-Segunda Guerra Mundial e afirmando a unidade do Corpo de Cristo, a autoridade das escrituras e a centralidade do sacrifício de Cristo. Por sua vez, a “inacabada” teologia da missão integral, torna-se o percurso de reflexão sempre aberta às demandas sociais, aos rumos da igreja, aos movimentos do Reino na história e às experiências concretas da missão.
 
Os CLADE’s reproduziram as relações de força do mundo protestante ocidental com suas vertentes teológicas e ideológicas. Mas também representaram as faces da igreja evangélica na América Latina afirmando suas identidades, heranças, tradições, culturas e experiências. E não poderia ser diferente à história do nosso continente invadido pelos ibéricos católicos “romanos”, pré-habitado pelos indígenas “pagãos”, ocupado pelos exilados africanos “magicistas”, povoado pelos imigrantes europeus e asiáticos e subjugado pelo imperialismo norte-americano.
 
Somos desafiados a reconhecer nossa solidariedade histórica, de fé e de missão com a América Latina. Nós, no Brasil, precisamos assumir a nossa latinidade “evangelica y brasileña”! 

Fontes:
 
DeBORST, Ruth Padilla. Congresos Latnioamericanos de Evangelización (“Los CLADE”). In: http://www.ftl-al.org.
 
LONGUINI NETO, Luiz. O novo rosto da missão: os movimentos ecumênico e evangelical no protestantismo latino-americano. Viçosa: Ultimato, 1992. 
Lyndon de Araújo Santos é historiador, professor universitário e pastor da Igreja Evangélica Congregacional em São Luís, MA. Faz parte da Fraternidade Teológica Latino-americana - Setor Brasil (FTL-Br).
  • Textos publicados: 35 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.