Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Luz bendita do viver, esperança da nossa redenção!

Por Cayo César Santos
 
A virada do ano nos lembra que a vida é feita de ciclos, lembrança bendita para aqueles que aguardam tempos de mudança, que sonham com uma nova realidade, que buscam transformação. A celebração do ano novo vem logo em seguida à festa do Natal, quando, de diferentes formas, recordamos a benfazeja memória de que, um dia, num tempo real da história, Jesus Cristo veio ao mundo, cumprindo a profecia de Isaías: “o povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; sobre os que viviam na terra da sombra da morte raiou uma luz”.
 
A poesia bíblica fala de trevas, escuridão e sombra da morte. Metáforas que podem espelhar nossas mentes e corações. Dor, angústia e sofrimento, realidades tão presentes e tão diversas daquilo que o Criador almejou, deram ensejo à sua promessa de fazer brilhar sobre o mundo, a luz do seu amor. Luz que reconstrói a humanidade, que a tudo renova. Não por uma mera mudança de data, ou por novos propósitos e intenções, mas porque o Eterno se fez gente, habitou entre nós e, tanto nos amou, que nos deu esperança. A verdadeira virada, a autêntica mudança, vem, então, pela graça de Jesus e por seu amor, que tem o poder de iluminar nosso pensamento, preencher o vazio dos nossos corações e transformar a nossa história!
 
A cada novo ano colocamos nosso olhar no futuro, nas possibilidades, nos sonhos e desejos mais profundos da alma ou, talvez, sintamos um aperto no peito, uma vontade de desistir, especialmente se na memória carregamos as cicatrizes de tropeços, guardamos as marcas de inúmeros recomeços. Com tais cenários, tão paradoxais, o futuro somente nos trará esperança se os olhos da nossa alma e o meditar do nosso coração permanecerem ancorados naquele que veio, viveu nossas lutas, morreu nossa morte, mas ressuscitou para nos dar a vida que não tem fim. No Deus encarnado, no Jesus crucificado e no Cristo ressurreto, é que está a nossa redenção. Redimir é pagar o preço, é cumprir a pena. Jesus nos redimiu do poder do mal e da força do pecado. Nos transportou, e transporta a cada dia, do reino das trevas para a sua maravilhosa luz. Luz que ilumina todo homem e toda mulher. Farol em mar tempestuoso que aponta a direção segura para navegar. 
 
A sombra da morte já não tem qualquer poder sobre os que estão em Cristo Jesus. Nada pode nos separar do seu amor. Nem anjos, nem poderes, nem tristeza ou lutas, nem a vida, nem a morte. Grades, lamento ou culpa, nada nos aparta desse amor, que é a luz da própria existência. Calabouços se tornam aquecidos e a solidão ganha companhia, na presença de Jesus. Mesmo passando por labirintos escuros e vales sombrios, Ele estará ao nosso lado! Pelo carinho do seu abraço e pelo afeto de suas mãos nos conduzirá de volta, no momento propício, à beleza que enternece os corações.
 
A vida cristã, que vivemos no presente, se vincula às outras dimensões do tempo: ao passado, que lhe dá respaldo e alicerce, ali encontramos a manjedoura de Belém, que concretiza o amor, e a cruz do Calvário, onde “tudo foi consumado”; e ao futuro, vislumbre gracioso da plenitude da salvação, tempo eterno em que não haverá mais dor e sofrimento, onde a tristeza terá fim, toda a lágrima será enxugada e viveremos, como que, no colo do Deus de toda consolação. O belo, o bem e o verdadeiro, nos foi, é e será eternamente dado, pelas mãos d"Aquele que é bom!
 
O discípulo de Jesus o segue atento e com todos os seus sentidos. Caminha com duas pernas: as Escrituras e a Oração. Pela leitura devocional da Bíblia, o Deus que fala, fala com ele, revela o mal que o ameaça e o liberta de seus medos, fazendo germinar em seu coração a certeza do perdão, o consolo dos sofrimentos e a esperança da eternidade. Na conversa com Pai, experimenta o cuidado amoroso de quem, mesmo sendo o Soberano, tem tempo para ele, lhe dá ouvidos atentos, generosos, e nunca o abandona, ao contrário, o recebe com carinho, o aceita, o acolhe. 
 
Portanto, neste início de um novo ano, sejam bons ou maus os dias que trará, uma lembrança é fundamental: nada nos separa do amor de Cristo! Ele é a Luz bendita do viver. Ele é a estrela que brilha nas manhãs e a lamparina que ilumina a noite escura da alma. Nele a vida vale a pena. Ele nos faz livres para o amor, para o perdão, para a vida. Ele supre nossas carências e a ausência de nossos afetos. Ele é a plenitude que traz sossego ao nosso angustiado coração. Ele é a esperança da nossa redenção!
 
• Cayo César Santos, autor de Século I - O Resgate e Século I - A Reconstrução, é casado com Jane e pai de Lucas, Felipe e Rafael. É presbítero da Igreja Presbiteriana do Planalto e membro da diretoria do Centro Cristão de Estudos, em Brasília, DF. É analista e assessor jurídico no Ministério Público Federal.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.