Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Eco elogio: recebemos dos outros o eco das nossas ações

Marcos Inhauser

Certa vez li uma pequena história que me fez muito bem; passou a ser um lema, muitas vezes atropelado, para minha vida e quero contá-la aqui.

Certo garoto que morava em uma fazenda, todos os dias quando ia à escola, passava em frente a uma mata. Um dia ele contou à mãe que naquela mata morava um menino muito mau, que só sabia falar palavrão. Por isso, ele não queria mais ir à escola para não ser xingado por menino.

A mãe “assuntou” e com o tirocínio de uma sábia disse: “Filho, faça o seguinte: amanhã, quando você chegar à mata, antes que ele comece a te xingar, comece a gritar bem alto que ele é um menino bonito, inteligente, legal, que gostaria de brincar com ele etc”.

No outro dia ele assim fez e quando voltou para casa sua mãe lhe perguntou como havia se comportado o menino mau da mata. O filho contou que naquele dia ele estava bonzinho e tinha dito que ele era inteligente e que queria fazer amizade com ele. A mãe o incentivou a repetir a dose nos dias seguintes. Certo dia o menino confidenciou à mãe: “Aquele menino da mata deve ter levado uma bronca ou uma surra do pai dele, porque ele anda tão bonzinho!”. A sábia mãe desde o primeiro momento percebeu que se tratava do eco que a voz do filho produzia na mata.

É impressionante a quantidade de vezes que reclamamos das palavras e do comportamento dos outros e não nos damos conta de que eles são o eco das nossas próprias palavras e comportamento. Se espero de alguém elogios, devo elogiar. Isto foi o que Jesus ensinou ao dizer: “Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço”.

Recebemos o eco das nossas ações. Isto está no livro da sabedoria: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. Xingar gera xingamento em intensidade igual, ou maior, e contrária. O segredo é não devolver as coisas na mesma moeda quando elas vêm carregadas de coisas ruins.

Isto Jesus também ensinou: “Não resistais ao mal; mas se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra”. É a resistência em amor, usando a graça para diminuir a tensão e a agressividade do outro.


Marcos Inhauser é pastor, presidente da Igreja da Irmandade e colunista do jornal Correio Popular. www.inhauser.com.br / marcos@inhauser.com.br  

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.