Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Qual é o problema com o Papai Noel?

Há coisas que fazem parte da nossa cultura há tanto tempo que já nem sequer pensamos em questioná-las, simplesmente as tomamos como "dadas", ou seja, como fatos que não necessitam ser discutidos, apenas aceitos. Uma destas coisas é a forma como tem sido comemorado o Natal, transferindo-se o protagonismo da comemoração do nascimento de Jesus para a chegada do Papai Noel.

Imagine a seguinte hipótese: você está de aniversário, prepara uma festa e chama seus amigos e familiares para se confraternizaram com você em sua casa. Entretanto, em dado momento entra um estranho e se apossa de tudo: ele quer soprar as velinhas do seu bolo, decidir quem vai ganhar o primeiro pedaço, ficar com os presentes e receber as felicitações em seu lugar. O que você pensaria de um sujeito assim? Pois bem, isto é exatamente o que a figura do Papai Noel faz com o Natal: desvia a atenção do Aniversariante, Jesus, para si, desvirtuando completamente o sentido da comemoração.

Nós sabemos que tudo o que possui a intenção de desviar a atenção das pessoas em Deus para outra coisa é de caráter diabólico. Tudo o que tenta roubar a glória de Deus é maligno e deve ser veementemente repudiado. Este é o problema com a inserção da figura do Papai Noel no Natal: ele concorre com Jesus para tomar d"Ele o lugar de destaque.

E é totalmente irrelevante para a presente abordagem a "real" origem ou o "real" significado da figura do Papai Noel. Não pretendo de maneira nenhuma me perder em histórias ou divagações acerca desta matéria. Compreenda, nobre leitor, que este não é o ponto, que isto não contribui em nada para a nossa discussão. O fato é que, mesmo sendo "bonzinho" e distribuindo balas e presentes, ainda assim ele é um invasor indesejável e deve ser retirado de uma festa à qual não foi absolutamente convidado.

Um segundo problema, porém não menos grave, advindo da presença da figura a qual nos referimos, é que, ao permitirmos que ela se torne "familiar" aos nossos filhos, perdemos a chance de ensinarmos a eles um dos maiores mistérios da fé cristã e um dos eventos mais grandiosos da História Humana: o nascimento de Jesus, o Verbo que se fez carne e habitou entre nós, que veio para quitar nossa dívida, reconciliar-nos em Si com Deus, morrer na Cruz para que hoje pudéssemos viver.

De fato, se não ensinarmos aos nossos filhos este glorioso fundamento da nossa fé, mas antes os deixarmos comemorar o Natal indignamente, como qualquer pessoa mundana o faz, então não os estamos criando melhor do que os ímpios criam seus próprios filhos, ao menos neste importante particular. Se nossos filhos, criados dentro das nossas igrejas, pensam que o Natal significa "ganhar presentes do Papai Noel", então estamos perdendo o nosso tempo arrastando-os conosco para os nossos cultos, e não devemos estranhar nem um pouco que quando eles adquirirem um mínimo de independência deixem tudo isso para trás...

Não estou afirmando que não podemos comemorar o Natal; estou apenas dizendo como não devemos comemorá-lo. Entendo que não existe proibição, tampouco recomendação bíblica no tocante a este assunto, de modo que aqueles que, imbuídos de uma fé verdadeira, desejam comemorar o nascimento de Jesus, aproveitando a ocasião para a confraternização familiar e para a troca de presentes, estão inteiramente cobertos por sua liberdade cristã para assim procederem. Contudo, é imprescindível que todos, sobretudo os mais jovens, sejam ensinados sobre o verdadeiro significado do Natal e que qualquer figura ou elemento que desvie a atenção do Protagonista da festa seja sumariamente banido dos lares cristãos.

Isaías Medeiros
https://www.facebook.com/blogdoisaias/
Florianópolis - SC
Textos publicados: 41 [ver]
Site: http://www.facebook.com/blogdoisaias

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.