Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

A história que mais aguardamos!

Não é uma estória, conforme, há poucos dias, li, da chegada da cegonha, mas também não é uma estória baseada em Charles Darwin [Teoria da Evolução]; embora, já na década de 80, quando falei sobre Adão e Eva com uma das minhas assistentes, ela me disse: "Que isso, ainda acredita em estória da carochinha?"

O universo se encontrava deserto e vazio quando tudo começou, uns contam cerca de quatro a cinco mil anos, outros preferem os milhões de anos; pode até ser, como alguns dizem, que entre Gênesis 1.1 e Gênesis 1.2, haja alguma história não revelada pela Palavra de Deus! De qualquer forma, fico com a Escritura Sagrada.

Então Deus, em seis dias, criou tudo o que aí está: céus, terra, oceanos, separação entre água e terra, animais selvagens, animais domésticos, pássaros, peixes, plantas, árvores e nelas até frutas; depois do barro [somos pó e ao pó voltaremos], Ele criou o homem, e da costela deste criou a mulher, pois não era bom que o homem vivesse sozinho, como uma pessoa "tipo antecruzoé".

Mas o Senhor Jesus disse sobre a história que mais aguardamos: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também" (João 14.1-3).

Meu pai se converteu ao Senhor Jesus, seis meses antes de sua doença se manifestar; ele tinha muitos amigos e muito mais inimigos, mas veio a falecer depois de se reconciliar com todos, os quais convidou a visitarem-no no leito de dor; pediu perdão a todos e, para todos, leu estes três versículos, afirmando que o Senhor Jesus já preparou lugar para ele, lá no Céu.

Entendo esse texto como o Senhor Jesus falando a respeito do "Arrebatamento" dos seus seguidores, os cristãos de um modo geral, quer os "mortos em Cristo", quer os que ficarem até esse evento; notem-no dizendo "virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo"; isso contextualiza com a redação do texto de Paulo aos Tessalonicenses a respeito do arrebatamento:

"Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.

Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Dizemos-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, A encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras" (1 Tessalonicenses 4.13-18).

Em resumo, o Senhor Jesus não pisa na terra, encontrar-nos-á nos ares, entre nuvens, para que ocupemos as "moradas", na Casa do Pai, que Ele foi nos preparar para estarmos com Ele, onde Ele está.

Já há, hoje, circulando nas redes sociais, vídeos que entendem, até, que não haverá "arrebatamento" dos salvos (Igreja ou Corpo de Cristo ou 2 ou mais reunidos em nome d’Ele, com Ele presente).

Perdoem-me, mas, se não houver arrebatamento não haverá a manifestação do anticristo, o que se dá depois de ser tirado da terra "o que lhe impede" de se revelar e agir; se não houver manifestação do iniquo não haverá a grande tribulação claramente descrita na Palavra de Deus, sobre a qual o Senhor Jesus disse:

"porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido, nem haverá jamais" (Mateus 24.21).

E, se não acontecerem todas essas coisas, fica a dúvida: "haverá ou não a segunda vida do Senhor Jesus?", quando, aí sim, ele pisará na terra, pois vem para ficar mil anos reinando sobre todas as nações, a partir de Jerusalém.

Diz o profeta Zacarias: "Naquele dia, estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém..." (Zacarias 14.4a); essa é a diferença entre "tribulação" e "segunda vinda", o Senhor Jesus pisar ou não na terra.

Creiamos ou não na "Escatologia", isso é o que diz a Palavra de Deus, o Deus que não mente e nem se arrepende do que diz! (Números 23.19).

Portanto, estejamos atentos, vigiando e orando, porque se o arrebatamento é pretribulação, ou não, iremos ao encontro d’ Ele nos ares, entre nuvens, porque a condição não é uma questão de data, que "ninguém sabe o dia e a hora da segunda vinda, nem os anjos, nem o Filho, mas somente o Pai" (Mateus 24.36)

A condição é de obediência a ele: "e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem" (Hebreus 5.9).

Pense nisto!
São Paulo - SP
Textos publicados: 600 [ver]
Site: http://www.sefiel.com.br

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.