Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Por Escrito

Rowland Evans: o fundador de dois movimentos missionários

Por Hefin Rhys Jones

Rowland Evans nasceu na pequena Morriston, no País de Gales, em 1936. Deixou a escola aos treze anos por causa da dislexia, um problema que pouco se sabia a respeito naquela época. Teve vários empregos, como entregador de leite e mecânico, antes de entrar no exército, onde serviu na Malásia durante a guerra na região. Sofreu muito com malária e foi durante esse tempo que ele encontrou Jesus.

Esse encontro o mudou por completo. Deixou o exército após alguns anos e voltou a Gales com o desejo de servir a Deus. Ficou lá por um período antes de sair do país de novo. Dessa vez, para servir ao Senhor integralmente com uma organização cristã.

Após quatorze anos de grande aprendizado em missões transculturais, ele sentiu que Deus o estava conduzindo a voltar mais uma vez à sua terra natal.
Mas ao invés de voltar à sua cidade, Evans foi para uma cidade litorânea chamada Llanelli, famosa por sua equipe de rúgbi. Lá, um grupo de jovens com o mesmo interesse em missões se juntou a ele.

Em sua casa foi criado um grupo de oração, onde eles oravam por lugares espiritualmente mais carentes do mundo, sem igrejas ou crentes conhecidos.
Começaram a fazer viagens missionárias de curto prazo para lugares como França, Espanha e Norte da África a fim de orar e compartilhar o evangelho.

Através da oração e dessas viagens missionárias, em 1972 nasceu a World Horizons, com o seguinte slogan: “Existimos em favor dos lugares e povos ainda sem oração, das igrejas ainda não plantadas e dos missionários ainda não enviados”.

Mais e mais pessoas com essa mesma paixão e pioneirismo se juntaram a Evans, foram treinados e enviados para os lugares espiritualmente mais difíceis da terra.

Com frases como: “Impossível é só uma questão de opinião” e “Ore ousadamente, porque Deus é maior que nossa mais ousada imaginação”, Evans inspirou gerações de obreiros.

Hoje, a World Horizons tem mais de quatrocentos obreiros de várias nacionalidades, trabalhando em mais de trinta países ao redor do mundo, compartilhando o amor de Cristo através de projetos sociais, negócios, educação, esporte e plantação de igrejas.

Visionário, Evans tinha o desejo de ver igrejas emergentes como China e Coréia do Sul desenvolvendo suas próprias organizações missionárias. Para isso, em 1994 ele deixou a liderança da World Horizons e passou a se dedicar a um novo projeto: a fundação da Nations.

Através do trabalho da Nations, várias frentes missionárias indígenas foram ajudadas, inspiradas e encorajadas. Consequentemente, hoje eles têm obreiros trabalhando em diferentes partes do mundo.

Hoje, com oitenta anos, Rowland Evans ainda não terminou sua aventura com Deus. Autor de três livros, está envolvido em projetos missionários na China, Tibet e Ásia Central.

Sua vida é realmente reflexo da sua famosa frase: “Ore ousadamente, pois Deus é maior que nossa mais ousada imaginação”.

• Hefin Rhys Jones é Gâles, residente no Brasil, missionário da WH Brasil e trabalhou por dois anos no Oriente Médio. É também estudante de Jornalismo e professor de Inglês.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Por Escrito

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.