Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Questão racial: avançamos na consciência do problema, mas ainda temos praticamente tudo a fazer, diz ministra

(Agência Brasil) A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Luiza Bairros, disse hoje (9) que o país avançou no combate à discriminação racial do ponto de vista de ter consciência do problema. Segundo ela, entretanto, ainda há um longo caminho a ser percorrido.
 
“O Brasil reconhece o preconceito como uma questão que tem que ser abordada de várias formas e a partir de várias dimensões, mas o que temos a fazer é praticamente tudo”, ressaltou, ao participar do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela EBC Serviços em parceria com a Secretaria de Comunicação da Presidência.
 
Luiza lembrou que o nível de exclusão da população negra no Brasil é profundo e esteve presente durante a maior parte da história do país. Ela citou, por exemplo, que já foi possível ampliar a presença de negros nas escolas e universidades brasileiras, mas a diferença de anos de estudo entre negros e brancos permanece de dois anos.
 
“Isso diz que a gente vai ter que forçar muito mais ainda do ponto de vista de ações que permitam não apenas o acesso, mas a permanência delas lá”, disse. “No que se refere ao trabalho, temos que fazer ainda muitas ações diferenciadas para que as pessoas negras possam participar do mercado de trabalho com mais vantagens”, completou.
 
Sobre a implementação do Estatuto da Igualdade Racial, criado em 2010, a ministra avaliou que o fato de o Plano Plurianual 2012 contemplar 25 programas que tratam especificamente da questão racial dá a dimensão de como o assunto foi ampliado no Brasil. Há, segundo ela, um número expressivo de ministérios com compromissos definidos e recursos destinados para essa área.
 
“Não tenho dúvida de que o país tem se modificado ao longo do tempo em relação à questão racial. O Censo 2010, pela primeira vez, registrou uma população negra com mais de 50%. As pessoas negras perderam a vergonha ou o receio, um indicador muito forte da mudança social que temos experimentado”, ressaltou.
 
Ainda de acordo com a ministra, foi criado um grupo de trabalho que inclui representantes de oito ministérios para fazer uma espécie de varredura e analisar onde faltam ações do governo na área de promoção da igualdade racial.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.