Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

ONU: 385 milhões de crianças vivem na extrema pobreza

Crianças têm duas vezes mais chances de viver na extrema pobreza que adultos – com cerca de 385 milhões vivendo nessa condição –, advertiu um novo relatório do Banco Mundial e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) divulgado na terça-feira (4).

De acordo com o estudo, em 2013, 19,5% das crianças dos países em desenvolvimento viviam em casas onde a renda diária da família era de 1 dólar e 90 centavos ou menos por pessoa.

Outro estudo apontou que, no mesmo ano, 767 milhões de pessoas no mundo viviam com 1,90 dólar ou menos por dia – o equivalente a cerca de 6 reais –, sendo metade com menos de 18 anos.

“As crianças não só são mais vulneráveis à extrema pobreza como também sofrem mais os efeitos prejudiciais dessa condição. E as crianças mais novas são as mais afetadas, pois as privações que sentem afetam o desenvolvimento de seus corpos e mentes”, disse o diretor-executivo do UNICEF, Anthony Lake.

“É chocante que metade de todas as crianças na África Subsaariana e uma em cada cinco crianças nos países em desenvolvimento estejam crescendo em extrema pobreza. Isto não só limita o futuro delas, como também arrasta para baixo essas sociedades”, acrescentou.

A África Subsaariana tem as taxas mais altas de crianças na extrema pobreza: cerca de 50% delas estão nessa condição na região.

O sul da Ásia concentra a segunda maior taxa, 36%, com os maiores índices observados na Índia.

Diante da situação, o Banco Mundial e o UNICEF pedem aos países que calculem de forma rotineira a pobreza infantil, como parte dos esforços para acabar com essa situação até 2030.

As agências da ONU também cobraram a melhoria dos sistemas de proteção social, incluindo a transferência de renda, para que as famílias pobres possam arcar com os custos de comida, água e educação.

“O grande número de crianças vivendo em extrema pobreza ressalta uma necessidade real de investir em serviços de pré-natal para as mulheres grávidas; programas de desenvolvimento na primeira infância; educação de qualidade; água potável; saneamento adequado; e cuidados de saúde universais”, disse a diretora sênior responsável pelas questões da pobreza e equidade do Banco Mundial, Ana Revenga.

“A única maneira de quebrar o ciclo de pobreza, que é tão difundido hoje, é através da melhoria desses serviços e da garantia de que as crianças de hoje vão poder acessar oportunidades de emprego de qualidade quando adultas”, acrescentou.

Foto: Crianças catando lixo em Lahore, capital e a mais populosa cidade da província do Punjab, no Paquistão [UNICEF / Marta Ramoneda]

Fonte:
ONU

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.