Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

O fenômeno dos filósofos pop

Por Pedro Dulci

Do ponto de vista da análise cultural, não é sem motivo que as pessoas estejam cada vez mais dispostas a conversar sobre o significado do casamento, o significado do trabalho ou até mesmo a respeito de pecado com filósofos ateus, mas não tem mais paciência para ouvir um sermão no domingo de um pastor local. Quais transformações na nossa cultura esse fenômeno sinaliza?!
 
Não podemos desprezar o aspecto espiritual da questão. Por mais erudito e intelectualmente estimulante que possa ser a abordagem sobre os pecados de um filósofo como, por exemplos, Luiz Felipe Pondé, ele não questiona a incredulidade do coração humano. Não há confronto com as idolatrias do nosso coração. Isso torna muito mais agradável ouvi-lo do que o expositor bíblico.
 
Entretanto, também existe algo da ordem cultural que não pode ser desprezado. O sucesso de tais pensadores, que os transforma em best sellers e faz com que suas palestras lotem auditórios é a capacidade que eles tiveram de discernir um código cultural. Eles compreenderam como alcançar o coração do habitante do mundo moderno, discutindo seus problemas mais atávico com referências bibliográficas estoicas e epicurista.
 
O escritor Alain de Botton diz com todas as palavras que, depois da morte de Deus, é na filosofia e na literatura que o ser humano moderno procura consolações. Essa é a razão de ser da sua instituição educacional The School of Life.
 
Será que a igreja está atenta para isso, ou está consumindo os filósofos pop acriticamente? Estamos percebendo o que esse sintoma social sinaliza, ou gostamos tanto de ouvir esses filósofos que só achamos que "só faltou Jesus no final da palestra dele para ficar perfeito!"?
 
Perguntaram-me sobre a importância de estudar Filosofia para um pastor e líder cristão. Esse é o motivo: identificar, aprender e conversar em uma linguagem corrente em nossas sociedades contemporâneas que se habituaram a ler Bauman, Chul Han, Pondé e Cortella.

>> Conheça o livro A Morte da Razão, de Francis Schaeffer

Leia mais
» Para que serve a filosofia?
 
Autor de Fé Cristã e Ação Política, Pedro Lucas Dulci, é filósofo e pastor presbiteriano. Casado com Carolinne e pai de Benjamin, desenvolve pesquisa em ética e filosofia política contemporânea e estudos sobre o diálogo entre ciência e religião, com estágio na Vrije Universiteit Amsterdam. É teólogo e coordenador pedagógico no Invisible College.
  • Textos publicados: 10 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.