Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Não me envergonho do evangelho completo

Por Ehud Garcia

Eu continuo sem me envergonhar do evangelho porque ele é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que deposita sua fé em Cristo Jesus, começando com os judeus e adentrando pelo mundo dos gentios (Rm 1.16). Esse poder é completo, não pela metade, não somente da boca para fora, mas um evangelho que é poderoso para salvar a pessoa inteiramente.

Paulo foi chamado por Deus e enviado por Cristo. Ele conhecia sua missão como sendo a missão de Deus, de um Deus poderoso, capaz de trazer à vida os mortos em seus delitos e pecados – uma salvação integral, completa e eterna. Isso nos faz lembrar o contexto em que Jesus enviou seus discípulos, fazendo-os seus apóstolos, seus enviados, seus missionários (Jo 17.18; 20.21). Deus enviou seu Filho para servir, e assim também Jesus enviou – e continua enviando – sua Igreja ao mundo, para serviço entre as nações.

A missão de Deus tem que ser vista pela óptica da Trindade e a mesma tem dois componentes que não podem ser separados: a mensagem proclamada e o serviço prestado àqueles que recebem a mensagem. Na verdade, a palavra “missão” só aparece uma vez na Bíblia (At 12.25) e lá significa uma missão de serviço, de diaconia, conforme o original grego. Assim, podemos ver que a missão de Deus é composta da mensagem, que é o poder de Deus para chamar o pecador, mas ao mesmo tempo requer a ação diaconal da Igreja na efetuação holística do ministério de Deus para com seu povo. Desta forma, a equação da missão de Deus inclui tanto a proclamação das boas novas quanto a missão de serviço a todos os necessitados. Portanto, a obra missional da Igreja é apostólica e diaconal.

Como Igreja Apostólica – enviada, missional – somos arautos, embaixadores de Cristo, trazendo reconciliação entre homens, mulheres e o Pai. Como Igreja Diaconal, somos mordomos da obra completa de Deus, servindo ao nosso próximo com os sinais transformadores do Reino de Deus entre as nações. A missão de Deus é integral porque não pode haver uma separação entre a proclamação do evangelho em palavras (Rm 10.17) e a nossa responsabilidade diaconal para com todos aqueles que estão recebendo a ação transformadora do Espírito Santo ao aplicar o poder de Deus para a salvação eterna. Jesus Cristo foi claro neste aspecto ao anunciar que a sua obra messiânica continha as duas dimensões da integralidade da missão recebida do Pai: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor” (Lc 4.18-19).

O evangelho completo trazido pela missão de Deus não é de esquerda ou de direita, mas de cima. É o evangelho do Reino de Deus. Qualquer coisa a mais ou a menos desta verdade não é o Evangelho de Deus.

Ehud M. Garcia, PhD, é ministro do Evangelho e missiólogo. Ele e sua esposa, Neiva Garcia, foram professores residentes no Centro Evangélico de Missões, em Viçosa, MG. Atualmente, é pastor da Igreja Presbiteriana de Caldwell, no estado de Idaho, nos Estados Unidos.

Leia mais
» É possível comparar a sua igreja com alguma igreja do Novo Testamento?

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.