Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Lei que isenta refugiados de taxas para revalidar diplomas é aprovada em São Paulo

Após mais de um ano de tramitação, a Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) aprovou por unanimidade o Projeto de Lei 557/2016, que prevê que pessoas refugiadas deixem de arcar com o pagamento de taxas de revalidação de diplomas nas universidades estaduais paulistas. A legislação contempla certificados de graduação, mestrado e doutorado.

Os custos com tais processos de autenticação, como o requerimento e a tradução juramentada de documentos curriculares, podem chegar até 20 mil reais. Além de caro, o processo pode se estender ao longo de vários meses. Em São Paulo, o ACNUR financia um projeto na organização Compassiva, ligada à igreja Projeto 242, para diminuir os custos do processo.

A decisão facilitará o processo de integração de pessoas refugiadas no Brasil, possibilitando o acesso desse público a vagas de trabalho condizentes com suas respectivas formações.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) acredita que a nova lei incentivará os refugiados a continuarem os estudos, aprimorando seus saberes, compartilhando conhecimentos e contribuindo de forma ainda mais assertiva para o desenvolvimento do Brasil.

Para a chefe do escritório do ACNUR em São Paulo, Maria Beatriz Nogueira, a aprovação do Projeto de Lei 557/2016 é “uma medida de extrema importância para que possamos incorporar os diversos saberes das pessoas refugiadas à sociedade brasileira, além de promover, ao mesmo tempo, sua autossuficiência”.

O projeto é fundamento em artigos do Estatuto dos Refugiados e contou com consulta e participação de atores da sociedade civil, o que lhe garante legitimidade. Em São Paulo está a maior parte dos mais de 10 mil refugiados que vivem no Brasil, e o texto agora segue para a sanção do governador Geraldo Alckmin.

Fonte: ONU Brasil

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.