Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Prateleira

Dostoiévski, 200 anos. Um antídoto ao pensamento superficial sobre espiritualidade

Por Ultimatoonline

Para celebrar os 200 anos do nascimento de Fiódor Dostoiévski – Moscou, 1821 –, Ultimato coloca à disposição do leitor um trecho e uma recomendação de Dallas Willard e Richard  Foster em 25 Livros Que Todo Cristão Deveria Ler.

Aos 28 anos de idade, Dostoiévsk foi condenado a quatro anos de trabalho forçado na Sibéria por pertencer a um grupo intelectual clandestino. Na prisão, ele teve uma experiência de conversão ao cristianismo, especificamente à Igreja Ortodoxa Russa. Para Willard e Foster, “Dostoiévski é um maravilhoso antídoto ao pensamento superficial sobre espiritualidade”.

A seguir, Por que Os Irmãos Karamázov é essencial, de Foster e Willard. Não deixe de ler também Dostoievski — Somos um ser à deriva, do pastor e jornalista Elben César (1932-2016); e, A espiritualidade do stárietz Zósima em Os irmãos Karamázov, de Gladir Cabral.


Por que Os Irmãos Karamázov é essencial

Os Irmãos Karamázov é considerado uma das mais importantes obras de literatura de todos os tempos pelos críticos – que variam desde Sigmund Freud, Kurt Vonnegut e Ludwig Wittgenstein –, principalmente por causa da quantidade atordoante de questões teológicas que o livro procura tratar – a busca por Deus, o problema do sofrimento humano e do mal, a dúvida, a razão, a vida monástica, o assassinato e a moralidade, para mencionar apenas alguns. Como escreve Michael G. Maudlin, membro do conselho editorial, “Ler Os Irmãos Karamázov me mostrou quão abstrata e vaga era minha compreensão sobre a vida cristã.

Através dos três irmãos Karamázov, Dmítri, Ivan e Aliocha, encontrei retratos tridimensionais da cobiça, dúvida, amor, fidelidade, sofrimento, anseio, esperança, bondade, ira, cura, e muitas outras virtudes e vícios, sem mencionar como uma providência poderosa age em nós. Dostoiévski é um maravilhoso antídoto ao pensamento superficial sobre espiritualidade”.

Como muitos têm mencionado, todo o livro pode ser visto como uma obra do Espírito Santo. Uma das mensagens centrais é que o Espírito Santo está agindo em todas as coisas. Como um romance, Os Irmãos Karamázov está em uma situação privilegiada para transmitir a mensagem de que Deus não é encontrado somente em nossas Bíblias, em nossas igrejas ou em nossos relacionamentos com outros cristãos; Deus está presente em todos os lugares dessa nossa vida complicada e confusa. Deus não pode estar contido em um ou outro aspecto de nossa vida, e tentar viver a vida como se nossa fé fosse relevante para apenas algumas partes é o cúmulo da insanidade.

A partir das palavras e da história de Zósima, o mentor de Aliocha, e das várias discussões entre os três irmãos, até a própria ação do enredo em direção à redenção, Os Irmãos Karamázov contém uma quantidade incrível de insights teológicos. As últimas palavras de Zósima aos seus colegas monges constituem em si de uma cartilha sobre formação espiritual – seu conselho sobre ser servos dos nossos servos, tratar todos com sincera humildade, amar todos e lembrar que estamos trabalhando para a totalidade. No complexo entrelaçamento de todos os personagens e os enredos secundários, encontramos uma das mensagens centrais de Dostoiévski: nossa salvação não é uma questão puramente individual; ela está tão ligada aos que estão ao nosso redor quanto Aliocha estava ligado ao seu pai e irmãos. Assim como cada um dos filhos de Fiódor se sente parcialmente responsável pela morte de seu pai, todos nós somos até certo ponto responsáveis pelos pecados e pela consagração daqueles que estão ao nosso redor. Zósima compreendeu essa mensagem. Em seu leito de morte, ele diz a Aliocha e aos demais monges que, a não ser que você aceite que você é tão responsável pelo crime que está sendo julgado diante de você, você não pode ser um bom juiz. Ele os lembra que eles têm de manter toda a humanidade em seus corações.

Esse amor pelos outros e o materialismo envolvido são o que torna Zósima distinto de seu companheiro monge Padre Ferapont, que se orgulha de suas conquistas acéticas, mas não demonstra nenhum amor, somente um tipo de loucura que apela para a multidão sedenta de milagres depois que o cadáver de Zósima denuncia sua humanidade ao se decompor. Mas, naturalmente, a ligação de Zósima ao seu corpo e seu amor às outras almas encarnadas ao seu redor é parte do que o torna um homem tão respeitável e consagrado. Como ele diz aos que estavam a sua volta no leito de morte, “Há somente um meio de salvação, depois crie coragem e torne-se responsável pelos pecados de todos os homens; esta é a verdade, vocês sabem, amigos, pois assim que vocês se tornaram sinceramente responsáveis por tudo e por todos os homens, vocês verão de uma vez que é justamente isso que acontece, e que vocês têm culpa por todos e por todas as coisas”.

Trecho publicado originalmente em 25 Livros Que Todo Cristão Deveria Ler, editora Ultimato.

Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1209 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Prateleira

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.