Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Camponeses, mulheres e indígenas formam grupo mais pobre da América Latina e Caribe

A desigualdade econômica crescente na América Latina e Caribe é um dos principais fatores que impedem a redução da fome e da pobreza, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). O assunto foi discutido em seminário de especialistas internacionais na última segunda-feira (30) na Colômbia.

O seminário revisou as principais políticas públicas de redução da pobreza rural, da fome e de enfrentamento dos principais desafios dos governos, ressaltando a importância de políticas redistributivas que impulsionem o desenvolvimento inclusivo.

A diretora da organização não governamental OXFAM na Colômbia, Aida Pesquera, destacou que apenas 32 pessoas na América Latina acumulam a mesma riqueza do que metade da população mais pobre da região.

“O sujeito principal da pobreza na região são os camponeses, mulheres e indígenas”, afirmou Bernardo Kliksberg durante apresentação, acrescentando que não há justificativa possível para a fome, “já que o mundo produz alimentos para mais de 10 bilhões de pessoas”.

Ainda que a América Latina e Caribe tenham reduzido a fome de 66 milhões de pessoas para 34 milhões, comparando o ano de 1990 até a atualidade, segundo dados da FAO, a região continua sendo uma das mais desiguais do mundo.

Os especialistas destacaram, no entanto, a necessidade de se levar em consideração as diferentes localidades da região, principalmente as rurais, em que a subnutrição continua sendo o principal desafio de desenvolvimento sustentável.

As mulheres e os povos indígenas são grupos prioritários que requerem políticas públicas especialmente desenhadas para eles, segundo o órgão da ONU.

“É necessário mudar o enfoque direcionado às comunidades como beneficiárias dos programas sociais para um papel de maior protagonismo local em que assumam a gestão do seu próprio desenvolvimento”, explicou Alejandro Flores, coordenador do programa nacional da FAO para a redução da pobreza rural.

Com informações da ONU/Brasil
Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1134 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.