Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Por que as boas obras não podem te salvar?

Um ensino muito comum, de forma direta ou indireta, nas igrejas é que as boas obras podem salvar alguém. Essas pessoas normalmente não ignoram a necessidade da fé, no sentido de dizer que as pessoas não devem crer em Jesus, mas acrescentam outros elementos à fé. Isso pode aparecer ao dizer que é preciso negar a carne, fugir do pecado, amar o próximo, fazer o bem, orar muito e outras coisas para ir para o céu. Tudo isso faz parte da vida de um cristão, mas é isso que nos concede o perdao de Deus vida eterna? O que a bíblia tem a nos dizer sobre isso?

Quero lembrar aqui primeiramente, o motivo pelo qual todas as pessoas do mundo(cada pessoa do mundo) precisa ser salva, precisa de um salvador.

A Bíblia conta que no começo da humanidade, Adão, o primeiro homem, desobedeceu a Deus e se tornou culpado de pecado. Adão era representante naquele momento da descendência que viria dele (todos nós) e por isso todos que viemos dele carregamos a herança do pecado. É algo em nossa natureza(não original dela, mas um invasor que é parte dela) que nos escraviza e inclina a fazer aquilo que é mal aos olhos de Deus, prejudicial ao próximo e a nós. 

Desse modo, não somente nossas ações(obras) como também nossas motivações e nós mesmos estamos escravizados pelo mal e para o mal. Jesus disse que "do coração saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos testemunhos e as calúnias."(Mt 15:19). Ou seja, o mal não vem do ambiente, nem de algo externo a nós (ainda que possamos receber influência), mas vem antes de tudo do nosso interior, da nossa mente e emoções, ou seja, de quem somos.

Então, por causa dessa corrupção do nosso coração nós nos tornamos incapazes de agradar a Deus, confiar Nele, ama-Lo e obedece-Lo. É por isso que Paulo escreve que pelas obras da lei ninguém será justificado. Temos aqui dois problemas: ninguém vai se tornar justo por cumprir a lei, e ninguém pode cumprir a lei. Você então pode ajudar todas as pessoas(e animais se quiser) que conseguir, doar todo seu dinheiro, morrer por alguém, mas se for apenas essas ações você não será salvo.

Mudemos agora um pouco o foco. Isso tudo que pode ser uma surpresa e barreira intransponível para nós não foi para Deus. Desde o começo da Bíblia Ele sabia(desde antes de fazer o céu e a terra na verdade) e revelou isso aos poucos. Para Eva Ele disse que viria um descendente que esmagaria o poder da serpente, das trevas. À Abraão Ele disse que Ele proveria para Si um sacrifício, já que os humanos nunca poderiam pagar esse preço. Séculos depois nasce Jesus de Nazaré. Ele nasceu de uma virgem por ação do Espírito Santo, por isso não possui a semente do pecado como o resto de nós. Ele, o messias, aquele que "tem as origens desde os dias da eternidade" (Mq 5:2) nasce, cresce, vive uma vida de obediência perfeita a Deus, em ações e de coração. Ele vive tudo o que Adão não viveu. Ele não tem pecado herdado de Adão. A morte não tem direito sobre Ele, pois apenas a alma que pecar morrerá(Ez 18:4), e então Jesus é condenado por se apresentar como Filho de Deus (ou seja, igual a Deus) e é morto. Antes de sua morte Ele já havia dito que não teria sua vida tomada, mas entregaria voluntariamente. Ao morrer na cruz Ele recebe a condenação e o castigo que a minha e a sua maldade merecem. A maldade dos piores criminosos e assassinos do mundo. A maldade dos que nasceram na igreja e nunca saíram dela. Quando Jesus foi pra cruz o Pai viu Nele o nosso pecado e Jesus foi separado do Pai; a condenação que nós merecíamos.

Mas isso não foi tudo; ao terceiro dia Ele volta a vida. A morte vem sobre quem peca mas Ele nunca havia pecado e portanto não tinha direito a morte. Ele é o santo que Deus não deixaria no sepulcro e na corrupção(So 16:10). Ao morrer Ele pagou um sacrifício. Ao ressuscitar o Pai havia aceito sua oferta no nosso lugar. Essa narrativa, que é fato na história e verdade espiritual é a nossa salvação e redenção. Deus amou o mundo e deu seu filho. Agora, todo aquele que crê em Jesus e que Ele morreu e ressuscitou por nós pode receber o que a obediência a lei não poderia nos dar, pode ter o perdão dos erros, a aceitação perante Deus e a vida eterna. É só quando confiamos em Cristo que somos salvos. Sem fé é impossível agradar a Deus e é quando a fé está em Cristo que começamos a agradar a Deus.

Isso tira nosso mérito, pois não iremos ao céu por termos vivido uma boa vida, mas porque Cristo a viveu e a deu para nós pela fé. Quando Jesus morreu Ele recebeu o que mereciamos. Quando cremos Nele nós recebemos o que Ele mereceu. Isso tira o peso de tentar ser aceito por Deus e nos dá certeza do seu amor e aceitação. O evangelho é uma boa notícia, de que algo já foi feito, e não um conselho de que devemos fazer algo.

Davi diz a mesma coisa, quando fala da felicidade do homem a quem Deus credita justiça independente de obras:"Como são felizes aqueles que têm suas transgressões perdoadas, cujos pecados são apagados." Romanos 4:6,7
Seropédica - RJ
Textos publicados: 8 [ver]
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.