Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Nada vai adiantar o seu esconderijo!

Já contei esta história, mas vale a pena recontá-la em outro enfoque, em outro contexto, em outra motivação edificante.

Terei que retornar ao passado, final da década de 1960, nos século/milênio passados – estava eu, confortavelmente, instalado em minha mesa de gerente da Agência de Juiz de Fora, do Banco Real, quando meu mano mais novo, Evaldo Augusto, recém-falecido (13.09.2016), adentrou assustado e assentou na poltrona de cliente!

Pálido ele disse: "estou sendo seguido – segunda e terça-feiras foi uma moça e hoje um homem"; indaguei-lhe sobre o homem, informando-me ele: "está parado, ali na banca de jornal, lendo o jornal "Xis" pendurado na banca, enquanto o mesmo periódico, dobrado, mantém-no debaixo do braço" [hilário!].

Fui até a porta e dei uma breve e disse: "é o Fulano de Tal, investigador; vamos resolver isso", e fomos para a casa de um amigo, coronel, no conjunto residencial dos militares perto dali, cerca de 700 metros.

Nosso amigo, após ouvir o relato disse: "vamos lá no Beltrano, Delegado e chefe dele, para sabermos a razão".

O investigador, nessas alturas, desapareceu desde que adentramos no prédio dos militares.

No gabinete do Delegado, feitas as apresentações, a história foi contada pelo mano; o Delegado solicitou em voz alta: "Traga-me a pasta do Evaldo Torres."

O dossiê era uma denúncia, de um concorrente na área de publicidade em que meu irmão trabalhava, e dizia que Evaldo estava andando muito com o Cicrano Dornelas [Dornelas com "a"] que "deve" ser comunista, pois "deve" ser parente do ex-presidente Getúlio Vargas! (sic).

O Delegado franziu a testa e disse: "Mas o Cicrano é Dornelas com "a" e o ex-presidente era Getúlio Dorneles [com "e"] Vargas!" - deu longa risada e determinou: "ARQUIVE-SE!"

O Dornelas estava, com meu irmão, fotografando pontos importantes do município para o guia turístico [guia de ruas e locais de eventos] que meu irmão estava editando.

De imediato, Evaldo abriu a pasta e mostrou, à Autoridade, o material já pronto para a edição do guia.

A partir daí, retirei-me, de volta ao trabalho, e eles ficaram ali conversando, contando "causos" e anedotas; meu mano e o Delegado simpatizaram-se mutuamente e marcaram encontrar outras vezes, fora do gabinete.

Meu mano era muito culto [autodidata], bastante inteligente, grandiloquente, conhecedor de quaisquer assuntos e bem irônico; seriam, como foram, bons "papos" para ambos, pois o Delegado apreciava muito prosear, principalmente, com pessoas cultas.

Após vários encontros, nos quais conversaram sobre tudo: economia, ciência, política [democracia, ditadura, esquerda, direita, socialismo, capitalismo, presidencialismo, parlamentarismo, monarquia, república etc.] o chefe perguntou:

"Torres, afinal, de fato, o que é você"? – em fração de segundos, o mano respondeu: "eu sou Flamengo" – os dois riram bastante e a amizade se solidificou.

Óbvio, nas entrelinhas, a pergunta era: "você é de direita ou de esquerda?" mas meu irmão, sua inteligência e cultura não cabiam no desprezível espaço dessas duas nomenclaturas!

Quando disserto sobre assuntos bíblicos, também eu, não me permito prisioneiro desta, dessa ou daquela corrente filosófica, doutrinária, teológica etc. – em obediência à própria Palavra de Deus eu "examino todas as coisas [mesmo extra-bíblicas] e retenho o que é bom" (I Tessalonicenses 5. 21), e estou convicto de que a Bíblia é que explica, confirma a própria Bíblia.

Em uma paráfrase da própria Palavra de Deus "eu não sou de Paulo, não sou de Pedro, não sou de Apolo, nem de qualquer outro; oriento-me pelo sopro de Deus em minha mente, pelo sussurrar do Espírito Santo em meus ouvidos".

Diz a Bíblia: "fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós. Refiro-me ao fato de cada um de vós dizer: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo. Acaso Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós ou fostes, porventura, batizados em nome de Paulo?" (I Coríntios. 1 11-13).

Conforme relatei, meu irmão era muito irônico, além de muito arguto e perspicaz; conseguia driblar uma conversa não esclarecendo a sua verdadeira ideologia.

Não é assim conosco em relação ao nosso Deus e Pai; Ele sabe de tudo, nada adianta nossa argúcia e nossa perspicácia, nada valem nossos supostos esconderijos de ideias e propósitos.

"Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também (...) Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste (...) Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias" (Salmo 139. 8, 14, 16).

Logo é melhor ter a nossa vida como um "livro aberto", nada escondendo, pois o Senhor nos conhece desde o ventre de nossa mãe; não adianta esconder, não resolvem subterfúgios, nada valem as máscaras do pensamento e da palavra, pois Deus conhece o íntimo do nosso ser.

Pense nisso!
São Paulo - SP
Textos publicados: 683 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.