Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Estou triste! Sim, eu choro!

Ouvia eu, na infância, "homem não chora", mas eu não me importava com isso e nem me incomodo hoje; não sou o único a me comover com coisas boas bem como com acontecimentos ruins!

E haja fatos indesejáveis neste mundo do abominável "politicamente correto", cartilha que prefere a dissimulação verbal à verdade do "Sim, sim; Não, não."

Qualquer coisinha, desde a primeira infância, e eu "abria o bué" [do português angolano, correspondente dos nossos "fazia um berreiro", "chorava fortemente"].

Já contei aqui uma característica das minhas manhas: quando jorravam aquelas gotinhas pela face, eu dizia para minha mãe "limpa a laga!" [laga era lágrima], ela passava a doce palma de sua mão em meu rosto e eu completava "toooda a viiida!"

Embora a Palavra dita pelo Senhor Jesus, recomende não acumular bens corruptíveis [os terrenos], mas aconselhe a investir nos bens celestiais, somos humanos e temos a nossa "paixão" por bens materiais.

"Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque onde está o seu tesouro, aí estará também o teu coração" (Mateus 6.19-21).

O que é condenável não é ter bens terrenos, mas sim dar a eles prioridade, maior valor em relação aos bens do Céu, ou colocar o nosso coração neles e não nos valores espirituais, que são eternos.

Entristeço-me, por exemplo, por vender o carro [foram-se os anéis, ficaram os dedos]; é uma das minhas "paixões" dirigi-lo, principalmente em uma avenida ou estrada, sem congestionamento, a 70 quilômetros por hora.

Sim estou triste! Foi adquirido há 8 anos, quando vendemos o sobrado e compramos um apartamento menor, pois as escadas se tornaram inconvenientes para os idosos; esse bem jamais prejudicou o cumprimento de outro conselho do Senhor Jesus:

"Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas [alimento, bebida, vestes etc.] vos serão acrescentadas" (Mateus 6.33).

Choro pela disrupção dos valores morais, éticos e, principalmente, espirituais, mas deveria me alegrar, pois é um dos sinais bíblicos de que os dias finais estão se aproximando; Maranata, ora vem Senhor Jesus!

"Ora, o Espírito [Santo] afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência..." (I Timóteo 4. 1-2).

"Sabe, porém isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes" (II Timóteo 3. 1-5).

Será que ainda há dúvidas de que já estamos vivendo esses dias, os quais o Senhor Jesus chamou de "princípio das dores"? (Mateus 24. 8)

Já acontecem, fartamente, o que a Palavra de Deus designou de "sinais" dos tempos do fim: guerras, rumores de guerras, nação contra nação, reino contra reino, fomes, terremotos, atribulações, assassinatos, ódio por causa do nome do Senhor Jesus, escândalos, traições, falsos profetas, multiplicação da iniquidade, amor se esfriando de quase todos (Mateus 24.6-14).

Sim, estou triste, choro por causa dessas coisas que nos ferem o coração, mas deveria me alegrar, reitero, pois é o que faltava para cumprimento das profecias do tempo do fim, da volta do Senhor Jesus para nos buscar [Arrebatamento], antes da grande tribulação, que Ele mencionou em seu "Sermão Profético":

"porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido, nem haverá jamais" (Mateus 24.21).

É hora de vigiar e orar, mas também é hora de alertar sobre o "Tempo do Fim" para que não aconteça o que ocorreu nos dias de Noé: "comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento" [festanças] descuidados com o alerta de Deus de que destruiria a terra (Lucas 17.27); e veio a tempestade e arrasou tudo e todos, exceto Noé e sua família que ouviram à voz de Deus.

Temos que pregar, cada um com o dom que Deus lhe deu, seja ou não oportuno, como foi aconselhado a Timóteo:

"Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas" (2 Timóteo 4.1-4).

Pense nisto!
São Paulo - SP
Textos publicados: 631 [ver]
Site: http://www.sefiel.com.br

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.