Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Cama, mesa, candeeiro.

Um quadro genuinamente singular, de expressiva beleza humana está no quarto capítulo do segundo livro de Reis. Esse capítulo é intenso na exposição de seus fatos. Mas mirem-se na cena inspiradora do versículo dez.

O testemunho de Eliseu gerou na mulher de Suném uma espontaneidade impressionante. Sem muita especulação é certo que a mulher reagiu à maneira do profeta apresentar-se, portar-se ao comer, ao falar...

A Palavra de Deus clarifica os tipos, sombras e figuras da Antiga Aliança em três porções na Nova Aliança: uma em Colossenses 2:17 e duas em Hebreus (8:5; 10:1). Entretanto, o quadro não requer nenhuma exegese teológica.

Interessante que a Sunamita, impressionada, propôs a construção de um quarto para que Eliseu permanecesse mais tempo com ela e seu esposo. Reação parecida ocorreu com o espontâneo e agitado Pedro, em Lucas 9:33-35.

O discípulo, ao contrário da mulher, estava diante de quem a Lei e os Profetas anunciavam e, maravilhado, quis desfrutar o privilégio disso, porém, a ambiguidade do discípulo resultou no evento chocante de Gálatas 2:11-14.

A dispensação da Lei e dos profetas encerrou-se quando a Nova dispensação foi homologada no monte da transfiguração. Pedro foi alertado pelo Pai quando colocou o "Filho Amado" em igualdade com Moises e Elias.

Na Nova Criação Deus Pai proporcionou aos seus filhos o testemunho do Primogênito, para que todos o tenham como fôrma (Rm 8:29). E, uma vez conformados a Cristo, todos compõem o sacerdócio na Nova Aliança (1Pe 2 :5).

Pedro quis fazer as tendas, o que correspondia com sua índole imediatista, mas sua empolgação causou um desconforto a ponto de não mencionar aos demais discípulos o que aconteceu no monte (Lc 9:36).

Na experiência diária os filhos de Deus têm a oportunidade de desfrutarem o Senhor por meio do orar e ler a Palavra, o que define o apreço da sunamita àquele que falava e agia por Deus, ao construir um aposento para Eliseu.

Nada mais inspirador que um quarto com cadeira e mesa. É confortável ler numa cama, mas comer ou estudar sentado e tendo o prato ou o material de estudo sobre a mesa é mais adequado. A sunamita pensou nesse conforto.

Pedro, por sua vez, escreveu duas epístolas maravilhosas e certamente inspirou Marcos em seu Evangelho, dado à sua proximidade com o primo de Barnabé (1Pe 5:13, Cl 4:10), o que define seu apreço ao Senhor e sua Igreja.

A Igreja é representada pelo Candelabro de Ouro (Ex 25:31, Ap 1:13) que ilumina o ambiente onde há descanso e uma mesa posta para o desfrute. A mulher, Pedro e todos os que crêem apreciam o conforto onde há o falar divino.
Goiânia - GO
Textos publicados: 95 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.