Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

A verdade e a condução coercitiva de Lula

No dia 04/03, o professor Botino, em entrevista na Globo News, afirmou ser ilegal a condução coercitiva do ex-presidente Lula e ingênuo esperar que de um depoimento se colham provas contra um suspeito que tem o direito de se calar. O professor tem uma dose de razão e sua segunda observação motivou a reflexão que segue.

Se a própria lei faculta ao acusado calar-se ante o Estado, por que um delegado ou outra autoridade insistem tanto em uma pergunta aparentemente inútil? Por que perguntam explicitamente: Você fez isso? Cometeu tal crime?

De fato, é muita inocência pensar que a autoridade espera que o investigado lhe dê provas do crime. Também, é muita tolice supor que a autoridade inquiridora seja capaz de arrancar a verdade do suspeito, que além de poder se calar, se cerca de advogados e de uma série de outros direitos pró-réu. A pergunta é feita, e sempre a é, tão somente com dois objetivos legados pelo cristianismo. Primeiro, testar e saber o caráter do suspeito. Se ele é mentiroso ou não. Segundo, dar uma oportunidade digna e honrosa de dizer a verdade, de retratara-se e de arrepender-se.

Disso decorrem também três coisas. Primeiro, quem fala a verdade não tem o que temer ou esconder. Segundo, quem se cala, normalmente se cala para não se tornar um mentiroso descarado a ponto de mentir sub judice (literalmente sob juramento). Terceiro, eventualmente alguns se arrependem e falam a verdade. (O que pode ser ou não o caso dos delatores da Lava Jato.)

Fato é que foi exatamente por essa razão que Deus perguntou a Caim: Onde está teu irmão? Ao desconversar, Caim, ao se caráter de assassino e invejoso, acrescentou o de mentiroso. Deus espera a verdade e dá oportunidade ao arrependimento. Nossa herança cultural de Cristo e da Bíblia faz o mesmo em nossos interrogatórios judiciais. Ambos, Deus e a Justiça com J maiúsculo, consideram a mentira tão ou mais grave que o crime praticado.

Não é sem razão que há um crucifixo nas salas de audiências. E em países mais sérios autoridades que mentem são imediatamente destituídas. E ante o tribunal de Cristo, que direito terão os pecadores de se calarem ante seus crimes estampados pela verdade?

Cedo ou tarde saberemos se Lula é mentiroso e descarado, ou se é o mais honesto e injustiçado dos homens.

Que prevaleça a verdade.

Disse Jesus: “conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (Jo 8:32).
Brasília - DF
Textos publicados: 9 [ver]
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.