Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Sopram ventos discriminatórios sobre a mídia evangélica

(ALC)  A liberdade religiosa na Espanha enfrenta tempos difíceis, disse a Federação de Entidades Religiosas da Espanha (FEREDE). O caso paradigmático, recente, foi o fechamento da emissora evangélica Rádio Encontro, no dia 2 de novembro, que também teve as contas embargadas e atribuída multa de 111,2 mil euros.

Os responsáveis pela Rádio Encontro alegam que este é apenas um passo mais na perseguição que sofreram em Madri desde o início das operações da emissora, em setembro de 2001. Sustentam, ainda, que o tratamento recebido é totalmente discriminatório. Mencionam, por exemplo, o caso da "Rádio Maria", uma emissora que nos últimos anos ampliou seu espaço para 117 emissoras por toda Espanha, emitindo sinais, em muitas ocasiões, sem a concessão administrativa, mas sendo tolerada.

A Rádio Encontro começou a operar contando com o beneplácito do Conselho Evangélico de Madri, que saudou a iniciativa de uma associação cultural constituir uma emissora de rádio que, seguindo critérios de qualidade e profissionalismo, servisse de veículo para a expressão do pensamento, dos valores, da espiritualidade e da identidade cultural do protestantismo espanhol.

Todas as tentativas de obter a licença de funcionamento da rádio foram frustradas, lamenta a FEREDE, “mantendo-se a situação de injusta e humilhante discriminação que existe desde dos tempos do franquismo". Do mesmo modo, todas as tentativas do Conselho Evangélico de Madri para dispor de espaço na programação religiosa de rádio e TV na emissora pública de Madri foram em vão, agrega.

A diversidade de regulamentações cedeu lugar a um caos legal, no qual vence o mais forte. Tendo em vista que para fechar uma emissora é preciso um processo judicial, que pode durar anos, as emissoras comerciais transmitem sem licença, porque o negócio é rentável. Elas só precisam pagar advogados e jogar com recursos legais para se manter no ar.

As igrejas podem ter acesso a um sinal de rádio nas mesmas condições das emissoras comerciais, se vencerem o concurso, o que ainda não aconteceu, ou se comprarem emissora que já tenha licença de funcionamento. As mais baratas custam entre 300 mil e 600 mil euros. Leia mais Agência ALC

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.