Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Para conversar com quem discordamos: 10 perigos e dicas para o diálogo

Por Paulo F. Ribeiro
 
Por que é importante conversar com quem discordamos? Quero sugerir 10 razões para insistir no diálogo e no relacionamento entre aqueles que têm opiniões e soluções diferentes para problemas semelhantes.
 
Algumas recomendações:
 
1 – Lembrar que a vida é complexa e precisamos do conselho de muitos quando lidamos com problemas reais e com um grande número de variáveis. 
 
2 – Entender que sempre existe o perigo de não compreendermos bem a posição do outro. Conversas e discussões sérias, interativas e online, são essenciais. Facebook, Instagram, entre outros, não contam, pois não há interação genuína.
 
3 – Tomar conhecimento do perigo de nos tornarmos complacentes com nossas próprias opiniões. A consequência é o isolamento intelectual e adoção de ideias ou informações sem qualquer razoabilidade.
 
4 – Recuperar o benefício da dúvida e a amabilidade no diálogo com quem discordamos, mesmo levando em conta a polarização das opiniões.
 
5 – Compreender que não vamos crescer como comunidades maduras enquanto existir o sentimento de “facção”, com grupos amargurados e ressentidos uns contra os outros. A interação é não apenas benéfica, mas também prática. Precisamos ter uma atitude Socrática nas discussões e não cair em generalizações: reduzir o argumento do outro a uma visão generalizada e distorcida em pontos específicos.  
 
6 – Lutar contra as generalizações políticas, raciais, religiosas, etc, que seriam melhor definidas como heresias morais. Por exemplo: Marxismo reduz tudo à luta econômica; Freudianismo reduz tudo aos desejos sexuais; Capitalismo reduz a vida ao consumismo e ao produto interno bruto; Espiritualismo reduz o presente à vida eterna.
 
7 – Entender que a falta de interação, causada pela falta de compreensão mutua ou arrogância, leva ao afastamento: cada grupo passa a gravitar em “panelinhas”, onde não existe ideias contrárias e o dogmatismo prospera. Nos tornamos incapazes de ouvir e, de algum modo, escravos de convicções abraçadas.
 
8 – Lutar para não cair na tentação das certezas e convicções equivocadas. Embora pareça até interessante por um tempo, existe uma conta a ser paga. E, não raramente, quem arca com essa despesa são os mais carentes. 
 
9 – Adotar quando possível o que os holandeses chamavam de “Modelo do Polder”, que reconhece a pluralidade e a cooperação apesar das diferenças, de forma a alcançar resultados objetivos para o beneficio social de todos. Se o “Polder” não for mantido todos serão destruídos.
 
10 – Finalmente, não temer nem comprometer nossas convicções religiosas, políticas ou filosóficas ao nos engajarmos em discussões sérias mesmo com aqueles de que discordamos, enquanto buscamos soluções para problemas que afligem a sociedade. E essa garantia nos é dada em Provérbios (de Salomão) 15.22: 
“Onde não há conselho frustram-se os projetos, mas com a multidão de conselheiros eles se estabelecem”.
 
Doutor em Engenharia Elétrica pela Universidade de Manchester, na Inglaterra, foi Professor em Universidades nos Estados Unidos, Nova Zelândia e Holanda, e Pesquisador em Centros de Pesquisa (EPRI, NASA). Atualmente é Professor Titular Livre na Universidade Federal de Itajubá, MG. É originário do Vale do Pajeú e torcedor do Santa Cruz.
>> http://lattes.cnpq.br/2049448948386214
>> https://scholar.google.com/citations?user=38c88BoAAAAJ&hl=en&oi=ao

  • Textos publicados: 26 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.