Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Prateleira

Eu me amo. Não posso mais viver sem mim*

Por Ultimatoonline

Somos todos Narciso. Somos narcisistas. E experimentamos uma espécie de “eu amedrontado. Que se fecha em si mesmo buscando sobrevivência. Um eu sitiado”.

O amor excessivo por si mesmo é nada mais nada menos do que o orgulho, o velho egoísmo que está no pecado original: “E sereis como Deus”.

Então, o que faço com o que encontro em mim? Como ler a Bíblia sem autorreferência? Como construir um itinerário espiritual do orgulho à humildade? E, qual é ou deveria ser a nossa identidade em tempos de incertezas? Como lidar com a liberdade cristã na era digital?

São essas, entre outras questões, como a crise política e a pandemia do novo coronavírus que fazem a edição de maio-junho da revista Ultimato. Confira abaixo.

*Trecho da música que dá título ao álbum do grupo Ultraje a Rigor, de 1985.






Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1174 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Prateleira

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.