Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

A ética do mercado tem a ver com o fenômeno dos desigrejados?

Por Ricardo Bitun 

Cresce o número daqueles que intencionalmente não se ligam a uma igreja ou que deixaram as igrejas que frequentavam. O fenômeno dos “sem-igreja” é um desafio enorme e alcança comunidades cristãs em todo o mundo.
 
A edição 374 da revista Ultimato convidou 8 personalidades para conversar sobre o assunto e apresenta o Especial “Desigrejismo – Anomalia ou Opção?”, em matéria de 5 páginas da revista.
 
Confira as respostas do sociólogo, professor e pastor Ricardo Bitun.
 
A ética do mercado – marca da sociedade contemporânea – tem a ver com o fenômeno dos desigrejados?
Ricardo Bitun – Creio que em parte sim. As relações se tornam cada dia mais utilitaristas, clientelistas. A lógica da oferta e procura acaba de uma maneira ou outra interferindo na relação fiel–Igreja. O fiel começa a procurar a igreja que lhe “cabe” melhor; por sua vez, a igreja, conscientemente ou não, procura oferecer facilidades e conforto ao fiel. Por fim, depois de consumidas todas as possibilidades (ofertas), o fiel acaba por optar pela não ida à igreja. Não tendo compromisso, ele se sente à vontade para ir e vir e até não ir. As relações, agora superficiais e descompromissadas, acabam permitindo a possibilidade para o desigrejado.
 
Entre as lideranças das igrejas que lamentam e que “condenam” o desigrejismo, há aqueles que o fazem por receio de perder prestígio e poder?
Ricardo Bitun – Não tenho certeza quanto a essa relação. Pessoalmente, acredito que prestígio e poder não se encaixam no perfil de um líder espiritual; seria quase uma contradição de termos. Caso o líder se permita entrar nesta equação, ele ficará refém do seu público, dando ao povo somente aquilo que ele deseja. Isso é muito desgastante, pois o alimento que você dá ao povo é aquilo que você sempre terá que fornecer; caso contrário, as pessoas irão embora (Jo 6).
 
• Ricardo Bitun é coordenador do curso de pós-graduação do Programa de Ciências da Religião da Universidade Presbiteriana Mackenzie e pastor da Igreja Evangélica Manaim. 
 
» Leia na íntegra o especial Desigrejismo – “anomalia” ou opção?

» Conheça o livro Dê Outra Chance à Igreja, de Todd Hunter

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.