Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Vivendo em tempos de angústias

Estamos passando por um momento nunca visto na história da humanidade, que tem atingido países, povos, raças e classes sociais diferentes, causado pela pandemia da Covid-19. Inclusive, no contexto mundial, as nações foram obrigadas a adotarem medidas sanitárias para enfrentamento do coronavírus, como o isolamento e o distanciamento social, além de cuidados básicos com a higiene pessoal, familiar e comunitária. Nunca se falou tanto para as pessoas ficarem confinadas em suas casas ("fique em casa"), representando lugar de refúgio e segurança para se evitar o contágio e proliferação dessa doença.

Diversas medidas amargas tiveram que ser adotadas pelas autoridades, tais como: o fechamento de lojas comerciais, dos shopping centers, de restaurantes; paralisação de importantes atividades econômicas, como indústrias e construção civil; cancelamento de aulas nas instituições de ensino; proibição de circulação dos transportes; interrupção do funcionamento dos órgãos públicos; suspensão de eventos esportivos, culturais e religiosos; dentre outras. Enfim, foram medidas impostas pelos órgãos governamentais que geraram bastante preocupação e ansiedade na vida da população. Sem dúvida, trata-se de uma pandemia que provocou um cenário de crises de grandes proporções, falências, desempregos, ansiedades, morbidades, deixando uma quantidade incalculável de pessoas em situação de vulnerabilidade. Noticiários trazem diariamente informações sobre o crescente aumento nos números de vítimas ocasionadas pela Covid-19, tanto na população mundial quanto brasileira, deixando cada vez mais as pessoas em estado de apreensão e insegurança.

Esse quadro preocupante traz alguns questionamentos: Por que está ocorrendo todo esse caos na humanidade? Como podemos lidar com esse cenário de crises sem precedentes na atualidade? Ainda há esperança de superação desse terrível dilema que as pessoas estão enfrentando no mundo inteiro? Bem, olhando para o texto bíblico, na Carta de Paulo aos Romanos, temos um relato que aponta para esta situação angustiante que a população do nosso planeta está vivendo, quando ele diz que "a criação geme e suporta angústias até agora" (Rm 8:22).

Trata-se de uma realidade bastante presente nos dias atuais com o avanço da pandemia, à qual tem provocado gemidos angustiantes na humanidade. Contudo, diante desse quadro tão hostil, a perspectiva bíblica nos aponta também para um cenário de esperança: "Deus ouve o nosso gemido"; ou seja, Ele jamais abandona a sua criação, mesmo que coisas ruins aconteçam (como uma situação de pandemia), Ele não desiste de amar e cuidar da vida que ele criou. A sua Palavra nos assegura que nada acontece sem a permissão divina, pois Deus está no controle de tudo. O salmista também nos afirma que "Deus é o nosso socorro e fortaleza em tempos de angústias" (Salmo 46:1); e apesar dessa aflição, Ele continua sendo Deus e está agindo com seu poder restaurador. Portanto, confiemos em Deus!!!
Teresina - PI
Textos publicados: 2 [ver]
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.