Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Uma língua ferina!

Nas caminhadas diárias de 40 minutos que faço para mexer o esqueleto (quando a minha coluna permite 😂) para perda de peso (isso tá difícil 😂), e controle de glicemia, triglicerídeos e colesterol, sou obrigado, mesmo sem querer, a ouvir conversas entre pessoas estranhas que transitam no mesmo local, pois falam sem qualquer constrangimento na maioria das vezes.

Se eu tivesse iniciado alguma dissertação de mestrado sobre o comportamento humano ja teria um bom material disponível para compilar dados 😂.

O que observo, na maioria das vezes, são comentários negativos contra outras pessoas citadas nos diálogos.

É raro ouvir palavras de elogio ao próximo como propõe Jesus no seu evangelho aos cristãos: "Mateus 5:44 Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus".

Sabemos que o efeito da "queda" do homem no Jardim do Eden o deixou contaminado e dominado pelo poder do pecado, e incapaz de guardar a Santa Lei de Deus, inclusive naquela passagem que diz: "Êxodo 20:16 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo".

O homem em seu estado natural, sem que tenha passado pelo estado de regeneração, que diz respeito ao Novo Nascimento (nada a ver com reencarnação), se insere na seguinte condição à luz das Palavras escritas de forma inspirada pelo Apóstolo Paulo: "Romanos 3:12 Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. 13 A sua garganta é um sepulcro aberto; com as suas línguas tratam enganosamente; peçonha de áspides está debaixo de seus lábios; 14 Cuja boca está cheia de maldição e amargura".

Certa ocasião, numa dessas caminhadas, pude ouvir e ficar perplexo com o seguinte diálogo entre duas mulheres: "Fulana, estou desconfiada que o casal vizinho de apartamento esteja envolvido em alguma atividade ilegal, pois nada postam sobre o dia-a- dia deles nas redes sociais".

É possivel imaginar algo mais leviano do que isto?

Uma reputação pessoal e familiar (quase) sendo jogada na lama, sem a mínima evidência de verdade, por uma suspeita maligna pelo simples fato de um casal exercer o seu direito de não expor sua vida privada nas mídias sociais! (nada contra quem exponha sua vida inteira no facebook e instagram!)

Uma coisa não tive como saber foi se aquelas mulheres (ou alguma delas), era(m) cristã(s), pois estavam precisando se arrepender(em) desse pecado que parece não ser muito combatido por alguns (ou muitos?) cristãos, a despeito das advertências do Apóstolo Paulo: "Efésios 4:29 Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. 30 E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção. 31 Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós".

E foi também o Apóstolo Paulo que registrou algo como advertência, que bem pode se aplicar à língua: "Romanos 6:13 Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. 14 Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.

Fiquemos também com as seguintes recomendações de um outro Apóstolo do Senhor: "Tiago 3:3 Ora, nós pomos freio nas bocas dos cavalos, para que nos obedeçam; e conseguimos dirigir todo o seu corpo. 6 A língua também é um fogo; como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno. 8 Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal. 9 Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. 10 De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim".
Recife - PE
Textos publicados: 289 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.