Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Quem está certo?

‘’A política deveria ser o encontro do aprendizado e do partilhar, mas, tenho chegado a conclusão de, cada vez mais, assume a feição de espaços para promoções e defesas de interesses, sem nenhum compromisso e atenção ao próximo’’.

A incerteza e um estado endemicamente corrosivo de polaridades estigmatizam ou marcam as faces de uma parte considerável da sociedade, com o advento da decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, a qual considerou inconstitucional a prisão em segunda instância.

Sem sombra de dúvida, ater-me-ei a um convite para prosear e tecer certas considerações. É bem verdade, discursos hostis, palavras contagiadas de cólera, argumentações de defesas e acusações infestam, como um vírus disseminador, as redes sociais e desenham os mosaicos de um povo, lá no fundo, sem haver para onde correr.
O mais dantesco de tudo, bate aquela sensação de qual o caminho a ser feito e escolhido, porque parece ser uma figura irreal. De certo, os últimos anos têm demonstrado um país despedaçado e descrente das instituições incumbidas de promover e consolidar a democracia, a justiça, a dignidade, o respeito e a coerência.

Tristemente, enfrentamos um ciclo de convulsões sociais e econômicas, nítidas e com contornos inquestionáveis, com a estampada situação de desempregados, a deficiência dos serviços públicos, de reformas que não apontam para alterações efetivas desse quadro.

Em meio a tudo isso, quem está certo, quem dispõe de condições de apresentar antídotos e caminhos aptos a espertar sérias e sinceras mudanças? Sinceramente, não sei e isso me incomoda! Vou além, devo abrir o jogo, não sei se orar vai fazer a diferença, não sei se as vindouras eleições serão um ponta-pé para transformações reais e não fantasiosas, não sei se o discursos da esquerda devem ser revistos ou da direita e suas capilaridades ou ramificações se constituem em matérias a serem levadas em conta.

Em poucas palavras, como cristão ou, melhor, discípulo da Graça Jesus Cristo, debruço-me nos textos de Jeremias 22.3 (Eu, o SENHOR, lhes digo: façam o que é justo e honesto. Protejam dos exploradores aqueles que estão sendo explorados. Não maltratem, nem explorem os estrangeiros, os órfãos e as viúvas. Não matem pessoas inocentes neste lugar sagrado) e chego a conclusão, sem rodeios, sem sublimações, sem refinações teológicas e idealismos pueris, como enfrentar tamanhas lacunas, quando tratamos a fé restrita aos meus interesses e as minhas vontades, quando o termo promessas mais se adequam a um individualismo e a uma ética do bem-estar e do bem viver, nada mais e nada menos, quando discordar do outro o faz desonesto, anátema, indecente, amante da corrupção e da injustiça, quando abordar as palavras partilhar e participar se remete a ser propagador da ideologia marxista e de esquerda, quando não atentar para uma afirmação tão categórica, clara e coesa, como do texto bíblico citado, confirma para todo um cenário de incertezas, de receios e de uma derrocada avassaladora da esperança?

Afinal de contas, quem está certo?

Os defensores da mantença da prisão, em segunda instância, a qual endossam e proferem ecos coléricos, devido a soltura de Lula? Os partidários que se posicionam, de maneira oposta, com a alegação de ter sido feito o resgate da justiça?

Entrementes, caminhamos para o findar de 2019, com uma honesta sentença: não sabemos quem está certo, porque, na verdade, crua e nua, não ponderar nas palavras do Profeta Jeremias, inexoravelmente, far-nos-á a acreditar em messias, em revoluções, em revelações apoteóticas, em lideranças personalistas, quando, sem delongas, fomos chamados para participar e compreender o quanto somos responsáveis por não arredar o pé de uma realidade não perfeita, mas que pode ser melhor, com a incidência de uma fé que nós inunde de coragem, de força, de destemor, de inspiração, de respeito e da lembrança de uma Graça que adentra nas feridas da humanidade para a ajudar a sobrepujar, ciente de que outras virão e, mesmo assim, permanece teimosa, com as mãos estendidas para a fazer levantar.
São Paulo - SP
Textos publicados: 96 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.