Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Pais e filhos: amor sem limites?

Há no mínimo duas verdades que eu quero compartilhar com vocês sobre Deus sendo exemplo de relacionamento entre Pais e Filhos.

Primeiro: A Bíblia diz e mostra de várias maneiras ao longo de sua história que Deus amou ao mundo (Jo 3.16). É fato e ninguém pode ousar negar o Amor de Deus. Afinal, Deus não tem amor. Ele é o Próprio Amor. (1Jo 4.8).

Segundo: A Bíblia mostra que Deus age com relações de Paternidade para com a humanidade. Ou Seja, Deus é Pai. Ele nos trata como filhos amados. E isso nos tornamos, ao entregar-se a Ele, filhos de Deus pela adoção em Cristo Jesus (Rm 8.14). Todavia, Deus sempre impôs limites aos seus filhos. O Amor de Deus pela humanidade foi e é sem limites. Mas esse amor sempre foi demonstrado ao longo da história através da imposição de limites a seus filhos. Uma coisa não exclui a outra.

Deus sempre usou leis e mandamentos para colocar certos limites a humanidade. No Jardim do Éden, Ele determinou que o homem não comesse do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal (E quando o homem o comeu obteve seu castigo). Quando o povo de Israel saiu do Egito, Deus tratou de entregar a Moisés as tábuas da Lei, para que este as repassasse (lesse) ao povo. A Lei era o limite, mandamentos designados para organizar a vida dos Israelitas, que até então não tinham um código de lei próprio.

Nós, Pais e mães, podemos tirar um precioso exemplo de como o próprio Deus lida com seus filhos. Ele sabe que se limites não forem colocados às pessoas, elas viverão de maneira desordenada e ferirão não apenas a si mesmas mas também a outras pessoas. Um dos problemas mais sérios nos lares onde há filhos pequenos, adolescentes, ou até adultos, é a falta de limites. Os pais, por ignorância ou por não quererem ter dor de cabeça ou simplesmente para agradar os filhos, acabam por deixá-los fazerem o que quiserem. O pior acontece quando os pais decidem fingir que não há nada de errado com eles. Quando as coisas acontecem debaixo de seus olhos (e muitas vezes dos olhos de quem desejar ou não ver) e simplesmente decidem não tomarem uma decisão de correção para "não piorarem as coisas". Mas pior já ficou faz tempo. NÃO É FÁCIL SER CORRIGIDO POR NINGUÉM EM RELAÇÃO À CRIAÇÃO DOS FILHOS. DÓI O SIMPLES FATO DE IMAGINAR QUE TALVEZ ESTEJAMOS SENDO RELAPSOS EM CORRIGIR ALGUMAS DAS ATITUDES DE NOSSA PROLE. Temeroso de heresia (risos), Mas gosto de pensar sobre o sentimento de Deus frente à acusação do diabo em relação às atitudes de Jó. Deus quis mostrar ao diabo que ele estava errado em relação a seu filho. Nós somos a imagem e semelhança de Deus. E sempre vamos querer defender nossos filhos. É fato que, no caso de Jó, ele era justo. O grande problema é que para a maioria de nós pais, nossos filhos são sempre justos. Ouvir de alguém que o seu filho não é quem você imagina que é, não é nada confortável. Mas por vezes é necessário até para produzir bênçãos inimagináveis na vida dele. Defender os filhos as vezes exige defendê-los de nós mesmos. Como porém discernir se a conversa (denúncia amiga) é de acusação ou de preocupação? Faça um simples exercício: Meu filho ou filha me impedem de ser eu mesmo? As vezes eu passo a agir como não gosto por algo que o meu filho fez ou não? Quem dita as regras? A hora de chegar ou sair a algum lugar, o tom de minha voz, os lugares que eu visito, a forma que eu trato os meus amigos e parentes... sou eu ou meu filho quem decide por mim? Eu bato em meu filho (quando doloroso e necessário) ou meu filho bate em mim sempre que se chateia? Se as respostas a essas perguntas não forem animadoras para você, é sinal de que a exortação é bem vinda. Então, seja grata ou grato ao Senhor se isso acontecer em tempo oportuno. Pois este, o tempo, é capaz de nos revelar erros irreversíveis que por ventura venhamos a cometer. E saibamos o seguinte: Não existem pais perfeitos. E nem filhos perfeitos! Mas sempre podemos melhorar. Deus nos amou sem limites ao nos colocar limites.
João Pessoa - PB
Textos publicados: 18 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.