Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

O jugo desnecessário da Mulher Cristã

O título do trecho bíblico assusta, não importa em qual versão ele esteja, ele assusta: Mulher virtuosa, Mulher exemplar. Só de ler o título já temos um certo desânimo. a mulher descrita na Bíblia parece inalcançável. Uma mulher muito além de seu tempo, inteligente, perspicaz, amável, ponderada e por aí vai. Ler Provérbios 31 é como lançar um jugo em nossas costas, um peso maior do que o que podemos suportar.
Aí vem a oração angustiada: "Senhor, como posso eu, impaciente, ansiosa, cheia de dúvidas ser uma mulher excelente?"
Depois a pregação equivocada: "Você precisa ser uma mulher virtuosa! A Bíblia nos ensina a ser uma mulher virtuosa!"
E a simples mortal, segue seu caminho diário, levanto sobre seus ombros o jugo de ser excelente!
Mas o pregador está certo, equivocado, mas certo. Ele acerta quando diz que a Bíblia nos ensina, porque ela ensina.

Provérbios 31 descreve a visão da mulher excelente e te dá o caminho das pedras para você chegar lá. Tudo começa no versículo 15, com uma frase que está ali mas nós não conseguimos ver entre as linhas porque estamos muito preocupadas com os versículos anteriores. Mas a o primeiro passo para ser uma mulher virtuosa está ali.

Delegar funções
Ela está ali no versículo 14, veja, olhe para todas as letrinhas dela, fale-a pausadamente, enxergue-a em todo o seu esplendor.
Delegar funções
Não conseguiu enxergar? Olhe de novo, está ali antes de o dia começar. é o primeiro passo da sua jornada. Ela começa seu dia, alimenta todo mundo e depois diz o que cada um precisa fazer. Delegou a função de suas servas.
"Mas eu não tenho servas!" você deve está pensando. E é neste pensamento que toda a carga física, psicológica e emocional se deposita sobre suas costas. Neste momento, quando o pensamento de que você não possui servas para distribuir o trabalho, você toma sobre si um jugo desnecessário e o ciclo vicioso começa.

Muitas mulheres estão físico e emocionalmente esgotadas por não porem em prática o que provérbios te ensina. Carregam sobre si todas as tarefas da vida e tentam abraçar mais do que conseguem, porque não conseguiram ler essa pequena frase nas entrelinhas.
Quando a Bíblia nós diz para meditar na palavra é justamente para aprendermos a ler as entrelinhas.

Delegar funções não é apenas dar uma tarefa a alguém, mas é dar responsabilidade a nossos filhos, dar a nossos maridos a oportunidade de serem cabeças saudáveis para o casamento. Delegar funções é cumprir a submissão a qual somos chamadas.
Quando você começa seu dia distribuindo tarefas na sua casa, um pouquinho do peso sai dos seus ombros. Quando um peso desnecessário sai dos seus ombros, seu corpo fica mais leve, sua mente mais clara e seu coração mais feliz.
Delegar funções é cuidar do corpo, templo do Espírito Santo. É ensinar aos pequenos a serem grandes. É apoiar o sacerdócio do seu esposo, dar a ele a chance de ser respeitado entre seus pares.

Quando não delegamos funções dentro de nosso lar, abrimos as portas para a preguiça, para a procrastinação, para a falta de empatia com o próximo e para o desamor.
Quando delegamos funções cumprimos o mandamento de amar o próximo como a nós mesmos. Porque cuidar de si é a forma de se amar. Você se ama quando não se sobrecarrega, quando não se angustia, quando não leva sua mente a estafa.
Você se ama e ensina seus filhos a se amarem quando dá a eles a tarefa de arrumarem suas coisas, recolherem o lixo, lavar a roupa íntima e deixarem limpo como encontraram. No futuro eles não lançarão sobre os outros suas responsabilidades. Terão respeito pelo trabalho dos outros e empatia com seu próximo.
Você se ama e ama seu marido quando divide com ele a educação de seus filhos, as tarefas domésticas (sim, as tarefas domésticas), a administração das finanças. Seu esposo é o provedor, não roube dele esse posto, mesmo que você ganhe mais. Por incrível que pareça, deixar o homem ser o provedor da casa é delegar uma função importante que muitas vezes roubamos de nosso esposos sem nem perceber.
Sem nem perceber jogamos sobre nossos ombros o jugo desnecessário de não dividir a vida.

Mas delegar funções não é uma coisa fácil de se fazer. Porém a mulher virtuosa de provérbios nos ensina a melhor forma de começar.
Ela começa o dia enchendo a barriguinha de todo mundo. Levanta primeiro, prepara o alimento, alimenta a todos e depois delega suas funções diárias.
Olha aí o que uma mente descansada pode fazer. A sabedoria e a astucia de toda mulher revelada neste pequeno ato. Quem, em sã consciência, depois de ter a vida alegrada por uma boa refeição se recusa a atender um pedido?
Então, querida, passe a ser aquilo que Deus te fez para ser a partir do próximo café da manhã. Delegue funções em sua casa, em sua vida e você verá como a vida será muito mais leve.

Que o Senhor te abençoe, te sustente e te fortaleça neste dia.
Belford Roxo - RJ
Textos publicados: 17 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.