Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Macunaíma

O país do carnaval e das CPIs apresentou ao mundo o herói sem nenhum caráter: Macunaíma, o personagem surrealista criado por Mário de Andrade.

Os que tem o hábito da leitura tem predileções e conhecem as peculiaridades da cultura brasileira e já perceberam a imposição de provocações e estereótipos folclóricos não apenas na obra citada.

Um resumo literário para vestibulandos afirma que a vida do personagem desse livro, lançado em 1928, simboliza o povo em formação. E, não distante do aculturamento estudantil, o folclore nacional tem seus admiradores.

Um político (e evangélico) derrotado nas últimas eleições municipais, recebeu retaliação da mídia e de artistas sectários por haver praticado intolerância religiosa ao mencionar o chapéu folclórico do seu adversário.

O candidato "e derrotado nas urnas" foi infeliz por tocar na paixão dos seus munícipes: o carnaval brasileiro, que trouxe o samba dos cultos afro e homenageia a entidade que usa chapéu, que é uma apologia do bom malandro.

Algumas cidades históricas na costa brasileira são fortemente influenciadas pelos cultos afro. Mas a maioria das cidades do país não se encaixa no estereótipo do misticismo africano, que é imposto pela literatura e até pela MPB.

Os países democráticos, chamados livres, partilham a globalização cultural. Nela, a liberdade de expressão presente no carnaval está cada vez mais chocante (e sempre contra os valores cristãos), e com o veemente e total apoio das mídias.

Rebeldia e contracultura não são assuntos atuais. Sempre houve recrudescimento dos anticristos que cobram o direito do politicamente correto, mas ignoram o dever. Factoides na política, mídias e imprensa povoam corações e mentes.

O país do folclore, da boa malandragem, do sincretismo religioso, dos políticos de carreira e dos heróis do BBB é, de fato, uma nação em formação. Se esses heróis não têm caráter seus atos manifestam a má índole, o tempo todo.

No Brasil vive-se o disparate e o burlesco: investigados investigam, policiais são criminosos, malfeitores são vítimas. E o pior: cristãos antitéticos, na mídia, anunciando um evangelho contextualizado; questionável como a condutas deles.

Olhando por esse prisma, o bom malandro do chapéu ou sem chapéu sempre estará em evidência.
Goiânia - GO
Textos publicados: 87 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.