Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Eu quero você, pobre! Jesus faz uns pedidos estranhos.

Como nós reagiríamos a este tipo de convite? Em Mateus 19.21, é justamente este o convite lançado ao jovem rico.
Agora será que Jesus faz alguns pedidos sem graça, ou Ele pede justamente isto por ser a própria Graça?

Honestamente, Jesus Cristo é fantástico. Ele disse ao jovem rico: Para você de fato caminhar comigo não terá necessidade de todo este patrimônio, e nem tão pouco deste dinheirama todo. Tudo isto ocupa muito espaço em sua vida, por isto a minha orientação é: Livre-se disto, distribua em doses homeopáticas para aqueles que achar que o dinheiro pode ser uma solução, porém por vez uma solução imediata, temporária.
Feito isto, venha andar comigo, pois Eu sei o que é ser um jovem rico sem peso, sem preocupação patrimonial.

Este encontro entre dois jovens ricos seria um excelente exemplo a ser seguido caso aquele jovem rico tivesse seguido á risca a orientação recebida.
Acredito que seria um modelo, porém a instrução dada pelo jovem rico, Cristo, afetou profundamente aquele jovem empreendedor, o texto original afirma que ele, depois de ouvir esta instrução, saiu da presença de Cristo com uma tristeza tão profunda, considerada um estado de depressão.
Pode parecer estranho, não é? Como alguém, ou um de nós, ou até mesmo eu, posso sair da presença de Cristo com uma tristeza profunda? Será que isto é possível?
No entanto somos muito parecidos com o jovem rico nos seus primeiros anos de empreendedorismo onde estamos a procura de construir, de levantar um patrimônio e ao passar dos anos, depois do investimento feito, este acúmulo nos fará refém do seu próprio valor, pois teremos dificuldade em abrir mão de algo tão valioso para nós.
No caso do jovem rico foi seu patrimônio, e no meu caso o que poderia ser?
Será que tenho um deus falso que concorrerá com o Verdadeiro?

Fica esta breve reflexão para cada um, afinal caminhar com Cristo só faz sentido se não estivermos amarrados a pequenos deuses que sutilmente nos acossa.
Uma proposta aparentemente estranha ao conceito do mercado, pois este nos propõe, seja forte, seja rico, seja grande, ande com os poderosos na sua área de influência, seja esta empresarial, acadêmica, ministerial, ou a área da sua imiganaçao e da sua busca.
Já Cristo, o jovem RIco, disse ao ainda tão jovem, mas um excelente empreendedor: Seja pobre, seja livre!

Honestamente que pedido dificil a ser cumprido, tanto para ele, quanto para nosoutros, e por este caminho é fácil entender outra história relatada na Bíblia acerca de Noemi, a viúva de Elimeleque, quando fez a seguinte citação:
Cheia eu saí da minha cidade, e agora estou voltanto vazia.
O esvaziamento das coisas que nos prendem é o primeiro e importante passo para viver as experiências, com aquele que é perfeito em tudo: Cristo.
Em suma é melhor estarmos vazios com Ele, do que cheio, mas longe Dele, afinal é nele que seremos completos.
Guarulhos - SP
Textos publicados: 61 [ver]
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.