Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Até que ponto pode chegar a maldade de um ser humano?

O Brasil está chocado diante da violência praticada contra o candidato Jair Messias Bolsonaro (PSL) ocorrida na cidade de Juiz de Fora, MG. Isto me leva a perguntar: até que ponto pode chegar a maldade de um ser humano?

Os excessos e as paixões levam a atos que chocam a todos pela sua maldade e baixeza. É difícil absorver esses atos de total rancor e ira diante de um quadro em que tantas pessoas se alegravam e festejam pela presença de alguém tão amado e querido. O ser humano quando tem o coração mau não tem limites nos seus atos. Em outros países, diante de um ato deste a pessoa implicada, o criminoso é morto no local, mas isto também nada resolve. Aqui no Brasil a pessoa é presa e ouvida, aparece nos meios de comunicação e até é admirada por muitos. Não é tratada como um criminoso da pior espécie, mas é tratada como um suspeito com direito a falar sem ser interrompido, ter um advogado e ser cuidado, bem cuidado pelos ativistas dos direitos humanos. Mas isto, de certa forma, tem as suas razões, por mais que não concordemos com elas.

O ser humano sem Deus é pior do que um animal irracional, a violência está aí para provar isto a cada dia. E não adianta cadeias, presídios com segurança máxima, pois os meliantes tem do lado de fora pessoas que os ajudam e contracenam com elas neste filme de horror. No Brasil, são mortos cerca de 70 mil pessoas por ano, segundo dados da Imprensa e a grande maioria, mais de 90%, são homens. Por vários motivos, ou sem motivos pessoas são mortas diariamente por homicídios ou por acidentes. E quando acontece um atentado como este, o País fica estarrecido, pois não há motivo aparente e a brutalidade supera os demais crimes.

Ademais, o candidato estava em campanha eleitoral, amparado por lei, seguido e ovacionado por milhares de pessoas. Mas o que fica é a forma covarde no ato do agressor frio e calculista. Por outro lado, muitas pessoas acharam isto normal e até gostaram, se pronunciaram satisfeitas e dizendo que a culpa foi do candidato. Não quero usar palavras desse tom porque essas pessoas não merecem a minha citação, mas ouvi e li muitas opiniões de pessoas que ficaram do lado do agressor afirmando que o candidato incita a violência. Mesmo que isto fosse verdade não justificaria o ato em si. Felizmente, o candidato a presidente, líder em todas as pesquisas de votos, foi socorrido, operado e está fora de perigo de morte. Certamente continuará a sua campanha, participará da eleição do dia 7 de outubro e poderá ser votado pelos seus milhões de eleitores. A pergunta continua soando: Até que ponto pode chagar a maldade um ser humano?

Certamente não tem limites, pois sempre é possível criar e desenvolver crimes, geralmente contra pessoas inocentes que estão no cumprimento do seu dever cívico e democrático. Não há muito mais o que falar, agora é aguardar o pleno restabelecimento do candidato tão amado e tão querido. Lembrando as palavras de Paulo: "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus e que são chamados pelo seu decreto (Romanos 8.28).
Mogi Guaçu - SP
Textos publicados: 422 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.