Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

A traição como ética relacional no reino de Mamom

...e ele foi aos principais sacerdotes e aos capitães da guarda do templo para combinar a melhor maneira de lhes entregar Jesus. Eles ficaram muito satisfeitos e lhe prometeram dinheiro.(Lucas 22:4‭-‬5)

Judas, aquele traiu Jesus, arquitetou uma forma de entregá-lo da melhor maneira, longe do povo, para que não gerasse uma revolta popular, pois, tinham Jesus como profeta.

Ao sistematizar a traição, Judas recorre aos principais sacerdotes e aos capitães da guarda do templo. Precisava da harmonia entre a religião judaica e o império romano e uma motivação que pudesse selar o contrato entre ambas as partes, que na verdade já o tinha.

A religião tinha virado mercado e o império cobrava impostos exorbitantes da população. A imagem da moeda era de César. Quem estava quebrando essa lógica, era Jesus, uma pedra de tropeço, uma voz profética e incômoda, uma denúncia contra toda tirania estabelecida pela corrupção, fruto do pecado da qual chamava todos ao arrependimento.

Em troca, Lucas vai relatar, que o acordo selado entre eles, gera lucro, pois, em recompensa do serviço de Judas, havia pagamento. O beijo de Judas em Jesus é o ápice do que pode tornar as relações humanas quando perdem o afeto, a humanidade e adentram nas esferas comerciais e contratuais do reino de Mamom.

Não precisamos ir longe para perceber como essa lógica acontece no nosso dia a dia. Benefícios que o dinheiro pode comprar atraem e seduzem, trazem consigo a promessa ilusória de segurança e estabilidade, mas não tem potência para experiências relacionais promotoras de vida, pois, sempre é consumada por vínculos de interesse sem capacidade de afeto e perdas.

No mundo business, onde o dinheiro transcende e se eleva à categoria de divindade, quando a lógica operandi é ditada pelos valores do Mercado, não distinguimos mais entre pessoas e coisas. Em troca do que podemos obter transformamos tudo e todos em mercadorias como oferta no altar de Mamom.

A traição de Judas é consumada no beijo, mas o Diabo ganha seu coração quando seus olhos começam a enxergar em Jesus uma oportunidade de fazer Mercado que sendo bem negociado seria um ótimo produto para se lucrar. No Mercado o ser humano se desumaniza ao ponto de tornar-se produto e o dinheiro, objeto se diviniza transcendendo e tornando-se deus. Vive-se assim em função do que se adora.

Enquanto Judas se aproximava de Jesus intencionado a um beijo contratual, como símbolo utilitário, como um ato mercadológico de identificação de entrega de um serviço bem feito, Jesus não perde a compostura e seu olhar humanizador, pois, em meio a um beijo traidor que o coloca como mercadoria por Judas, há uma lógica humanizadora que tenta resgatar a humanidade e o afeto por Jesus quando chama o traidor de amigo.

Toda oferta a Mamom começa com uma lógica traidora que não pondera o valor e não distingue mais entre coisas e pessoas. No fim beijos são dados de acordos selados na lógica do Mercado. Traições são legitimadas no altar do capital onde trinta moedas de prata passa a ter mais valor do que pessoas que insistiram em nos chamar de amigos.

Quem se deixa seduzir pelos desejos ofertados por Mamom, acaba precificando pessoas e não consegue mais dar beijos de afeto sem que esses não estejam carregados de uma lógica utilitária e oportunista. No reino de Mamom toda relação perde sua dimensão afetiva, humana e solidária e passa a ser reformatada e vista nos moldes da mercadologização da vida, pois, não há vida humana que sendo negociada, não seja capaz de gerar lucro.
São José Dos Campos - SP
Textos publicados: 17 [ver]
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.