Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

A Reforma Protestante: uma crença prática!

"A crença no evangelho de Cristo que não me leve para mudanças e compromissos, com efeitos práticos, na vida das pessoas, não passa de uma crença falsa, de um Cristo farsante e de uma esperança tola’’.

"Se a minha vida de oração, não se declarar, através dos atos e das palavras, não se torna válida, em nossa realidade’’

"Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso pela fé, a esta graça, e gloriemo-nos na esperança da glória de Deus" (Romanos 5.1-2). Somente a fé (sola fides): "justificados, pois, mediante a fé".

A cada ano, observo um ofuscar, cada vez maior, no que se refere ao dia 31 de outubro de 1517, causado por uma cultura estigmatizada pela paganização e, aqui, em nosso país, não tem sido diferenciado. De certo, o mais estarrecedor, passa e perpassa pela ausência, por completo, de haver uma ênfase sobre a Reforma Protestante, por parte dos cristãos e isto não se restringe aos reformados, em função de se estender a todos os cristãos centrados na fé firmado em Jesus, o Cristo. Não por menos, a secularidade se rendeu ao cenário do halloween, dos mosaicos da abobora, das indumentárias do chapéu da bruxa, das fantasias de monstros, da veneração aos mortos. Ao andar pelos espaços comerciais, seja de grandiloquente ou de pequeno porte, seja nas escolas, seja nas empresas, seja nas instituições, tanto pública quanto privada, esse evento migrado dos Estados Unidos se tornou num evento a ser celebrado, contemplado e comemorado, a qual diante de qualquer contestação, expressamente, recebe os mais ardorosos ataques de serem os seus opositores intolerantes. Sempre se faz de bom parecer destacar, não bastasse esse movimento tóxico, isto sem falar de todo seu acervo de ideias, crenças e valores sem nenhuma ligação com os preceitos validados, defendidos e confirmados pela Reforma Protestante (Sola fide – somente a fé, Sola scriptura – somente a escritura, Solus Christus – somente Cristo, Sola gratia – somente a graça, Soli Deo gloria – gloria somente a Deus), por sua abordagem voltado a justificação pela fé, a palavra revelada e discernida, da liberdade de consciência, do compromisso e do comprometimento por sermos portadores da soberania e para viver na presença de Deus, com as verdades estabelecidas na Cruz do Ressurrecto. Além do mais, a partir da Reforma, observa-se o despertar de uma crença na liberdade de ruptura, diante de todas as mentiras, de todos os enganos e de todas as farsas, até, então, formados pelos ensinos distorcidos do catolicismo. Agora, mesmo com o advento desse evento de marcas significativas, como a questão de a pluralidade de confessionalidades não envolver uma pulverização patológica, mas sim a própria diversidade de uma fé ancorada no Kairós para todos. Anota-se, não bastasse o dia do hallowen, reverencia-se, também o dia da pastora e não vou adentrar nesse pomo de discórdia sobre o pastorado feminino, por não ser a tônica da discussão, tão somente, ressalto o quanto perdermos a importância do dia 31 de outubro de 2023 e nos delimitamos a entoar – Castelo Forte e convenientes ministrações para cumprir com os protocolos formais. Presumidamente, sem ser uma referência de efeitos práticos, em nossa vida, mesmo diante das contradições e das contrariedades dessa vida, possamos viver na presença do Deus Ser Humano Jesus Cristo para o glorificar. Infelizmente, uma parcela dos denominados cristãos, diga-se de passagem, tidos como reformados, estão mais ocupados com as questões de ordem pessoal, motivados para atender seus interesses e sem uma atenção ao discipulado, ao serviço e a propagação da palavra, em viver na presença. Sem sombra de dúvida, a própria Reforma Protestante parece distante de sua proposta, em nossas vidas, em nossas realidades, em nossos contextos e será que não se constituiu numa crença falsa e não prática, porque não desencadeia mudanças e transformações. Ademais, possamos durante este dia, com honestidade, ponderar se não precisamos rever os nossos preceitos cristãos e discernir o quem tem sido este evento, em nosso ser, com coragem e integridade.
São Paulo - SP
Textos publicados: 366 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.