Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Podemos escolher o que fazer com a mágoa e o ressentimento

Um dos maiores fatores de brigas e separações em família, são os ressentimentos, mágoas e decepções ESCONDIDAS na alma.

Como conselheiro de casais de uma igreja com milhares de membros, me surpreendo com fatos ocorridos há anos entre os casais e desenterrados entre eles nos desabafos. “Como é que você guardou tudo isso, por tanto tempo e nunca me falou?”, se espanta o outro quase sempre.

Podemos escolher o que fazer com esses venenos internos em nossas vidas.

Uma péssima escolha é alimentá-los e permitirmos que um monstro cresça em nossos corações. Vejam o exemplo de Absalão. Seu irmão Amnon desonrou a irmã e o ódio entrou no seu coração. É verdade que foi algo horrível, mas a vingança nunca é aceitável. A vingança pertence ao Senhor. Romanos 12.19 diz: “Amados, jamais procurai vingar-vos a vós mesmos, mas entregai a ira a Deus, pois está escrito: ‘Minha é a vingança! Eu retribuirei’”. Passaram-se dois anos. Absalão aninhava o antigo ódio pelo irmão. Deu ordem para matarem a Amnon e assim foi feito. Vemos que o seu fim foi trágico! Colhemos tudo o que plantamos!

Outra escolha errada é não buscar o arrependimento. Vejam o que aconteceu com Judas. Errou e errou feio. Mas se ele tivesse se arrependido, certamente o Senhor o perdoaria e o teria restaurado. Mas não, seu orgulho impediu que pedisse perdão. Quem não sabe pedir perdão, tem grande chance de acabar sozinho, e esquecido... O arrependimento nos cura por dentro.

Agora vejam o caso de José do Egito. Tinha tudo para desenvolver um ódio na alma. Vendido pelos irmãos, traído pela mulher de Potifar, esquecido na prisão pelo copeiro-chefe, podia, e com razão, ser um revoltado. Mas José escolheu ser digno. Escolheu o perdão. Ele disse aos irmãos: "Para a conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós” (Gn 45.5). Deus havia transformado maldição em bênção. Que história maravilhosa, a vida de José. Assim como Jesus, sua vida abençoou povos e gerações para “além do muro”.

Quando escolhemos o perdão, é óbvio que a mão do Senhor está por trás das nossas decisões. Assim não se orgulhe de ser admirável. Você está sendo alvo da Sua graça. Reconheça a sua eleição. Dê toda a honra a Ele. Sua mão de misericórdia fará de você um eterno vencedor!

• Paulo Brito é médico, músico e pastor presidente da Igreja Missionária Maranata. Pastoreia no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ).

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.