Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Quo vadis?

O que diríamos se Jesus cruzasse hoje nosso caminho e nos perguntasse: Onde você está indo? Talvez, de imediato, e sem muita reflexão, responderíamos que estamos indo para o trabalho, ou para casa assistir à família, ou ao médico fazer um checkup, ou visitar um parente ou amigo, fazer compras, indo à igreja para uma reunião, preparando-se para uma viagem, enfim, algo importante ou talvez inadiável do nosso ponto de vista. Todos cumprindo uma agenda interminável. Ou quem sabe, devido à pressa ou à insensibilidade típicas de nossa era moderna, digital e hedonista, talvez nem sequer déssemos conta que Aquele era o Cristo, o mesmo que morrera numa cruz no Gólgota em Jerusalém, cumprindo a agenda do Pai. Como aqueles discípulos do vilarejo de Emaús, conforme descrito por Lucas, é bem provável que nossos olhos estivessem vendados ou, pior, que nosso coração estivesse obstruído, cauterizado, necessitando de uma intervenção cirúrgica espiritual para diagnosticar e curar possíveis anomalias.

A tradição cristã-romana conta-nos que, ao fugir de uma provável crucificação e perseguição em Roma, o apóstolo Pedro teria encontrado a Jesus ressuscitado e pergunta-lhe: "Quo vadis?" Teria Jesus respondido: "Romam vado iterum crucifigi" (Vou a Roma para ser crucificado de novo). Prontamente Pedro entende a mensagem e ganha coragem para continuar seu ministério e acabaria se tornando um dos mártires do cristianismo e um dos grandes líderes daquela nova religião que colocaria o Império de então de cabeça para baixo. Não sabemos se, de fato, isso ocorreu, mas a verdade é que muitas vezes em nossas vidas, assim como Pedro, estamos andando na direção errada, oposta. Ao invés de irmos a Roma, um símbolo do reino humano, proclamarmos e vivermos a mensagem salvadora de Cristo, o Deus que tangenciou nossa história, estamos fugindo da nossa missão buscando salvar a nós mesmos.

Evangelho é movimento em direção ao outro. Ele deve nos impactar, incomodar e nos convidar a sairmos das quatro paredes da "nossa Palestina" e irmos em direção a "Judeia, Samaria e até os confins do mundo". Diante da última comissão, do último comando de Jesus, só temos duas opções: ou o ignoramos ou o obedecemos. Não há como sermos meio-termo. Se formos mornos, seremos, indubitavelmente, vomitados (Ap 3.16). Ao lermos os Evangelhos, essa pergunta nos é feita a cada página, a cada ato redentor, a cada olhar comprometedor e amoroso de Jesus. Ela deve nos fazer refletir sobre o que estamos fazendo com nossas vidas, que sonhos temos sonhado, a que ventos estamos seguindo, pelo que ansiamos, pelo que nos preocupamos, com que gastamos nosso tempo, dinheiro, energia, dons, talentos, pois, onde está nosso coração, aí está nosso tesouro.

Mais que uma pergunta, "Quo vadis?" é um convite a (nos)transformar, um convite a uma vida com propósitos, não os nossos, mas os Dele, "Domini nostri et Salvatoris".
BrasÍlia - DF
Textos publicados: 19 [ver]
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.