logo ultimato
  • Seja bem-vindo Visitante!
  • Cadastre-se
  • facebook
  • twitter
  • rss
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Esqueci minha senha

Palavra do leitor

"Pai Nosso" - A oração que Jesus nos ensinou

Jesus, o Mestre dos mestres, muito nos ensinou durante o seu curto ministério terreno. O seu ministério foi de apenas três anos e meio, durante o qual Ele ensinou, evangelizou e curou, conforme está escrito em Mateus 9.35.

Um dos ensinamentos de Jesus dos mais conhecidos e recitados até hoje é a "Oração do Pai Nosso" ou "Oração Dominical". Muita gente sabe esta oração de cor, mas nem todos conhecem a sua importância e o seu significado para o cristão. Geralmente quando se decora, declama ou recita rezas, orações ou poemas, as pessoas não se atêm ao conteúdo daquilo que está recitando. E isto acontece também com a oração do Pai Nosso.

Hoje, é comum se rezar um Pai Nosso em diversas ocasiões. Muitos jogadores de futebol rezam um Pai Nosso e uma Ave Maria no vestiário antes de adentrar ao campo para disputar uma partida. Numa situação geralmente complicada, muitas pessoas lembram de rezar um Pai Nosso pedindo supostamente a proteção de Deus, muitas vezes sem saber o que realmente estão fazendo. Na verdade, muitos estão apenas repetindo algo como se fossem um papagaio ou um ator em cena.

Jesus ensinou a oração do Pai Nosso e a deixou como um modelo particularmente para os discípulos e em geral para todos nós. É curioso, porém, que não vemos na Bíblia em nenhuma ocasião os discípulos ou apóstolos recitando ou ensinando esta oração. Por que será? Não obstante, os cristãos, especialmente os católicos, citam esta oração quase que diariamente. E há pessoas que acreditam piamente na força e no poder do "Pai Nosso". Seria bom se todos nós entendêssemos realmente o poder e o significado desta tão conhecida, recitada e ao mesmo tempo tão desconhecida oração.

Esta oração está inserida no Sermão da Montanha no Evangelho de Mateus, capítulo 6, versículos 9, 10, 11, 12 e 13. É importante salientarmos que Jesus a ensinou aos seus discípulos quando lhes falava sobre esmolas, oração e jejum atendendo a um pedido dos próprios discípulos. Jesus ensinou os seus discípulos a orar: "Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém".

Quando eu era criança e depois adolescente, na igreja evangélica que eu frequentava no interior de Minas, sempre no fim do culto a igreja recitava esta oração. Nunca me esqueci deste fato que marcou a minha vida e me fez meditar por diversas vezes nesta oração ensinada por Jesus. Hoje, poucos recitam ou meditam nesta oração, mas o exemplo que tive, aparentemente tão simples, foi marcante na minha vida como um alicerce espiritual que tem me sustentado por várias décadas. Como uma boa semente plantada em boa terra, esta oração frutificou no meu pequeno coração e hoje colho os frutos de uma colheita rica e abundante.

Jesus nos ensinou esta linda oração. É uma pena que muitos já a esqueceram e outros a recitam como se fosse um mantra, repetidas vezes, sem nenhuma preocupação com o seu conteúdo. O Pai nosso continua no céu e a necessidade do pão nosso de cada dia é cada vez maior. Portanto, esta oração é muito atual e não devemos ignora-la nem perder de vista o nosso Pai que está nos céus e a tudo vê, mas, infelizmente, não é visto nem seguido por todos.
Mogi Guaçu - SP
Textos publicados: 259 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

Opinião do leitor

comentar
Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.