Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Médicos de Cristo apoiam a campanha de vacinação contra HPV

Os Médicos de Cristo, movimento que reúne médicos e profissionais da saúde cristãos, divulgou uma nota técnica de apoio à campanha do Ministério da Saúde de vacinação contra o papilomavírus humano (HPV) para prevenção do câncer do colo do útero de adolescentes entre 11 e 13 anos de idade, iniciada no dia 10 de março.

Jornais informam que grupos religiosos (entre eles, evangélicos) têm expressado resistência à campanha de vacinação. Entre os motivos está a opinião de que a vacina não é segura e que incentiva o sexo precoce.

A nota dos Médicos de Cristo ressalta a importância da vacina e diz que ela é fruto de intensas pesquisas científicas. Leia a nota na íntegra a seguir:

***

O Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunização amplia o Calendário Nacional de Vacinação com a introdução da vacina quadrivalente contra o papilomavírus humano (HPV) no SUS, para prevenção do câncer do colo do útero.

O câncer do colo do útero é uma doença grave e pode ser uma ameaça à vida. No Brasil, é a segunda principal causa de morte por câncer em mulheres. Os subtipos HPV 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero em todo o mundo e ambos estão incluídos na vacina quadrivalente contra HPV. O câncer de colo uterino determina um número de anos de vida perdidos que é superior aos determinados pela AIDS, tuberculose ou pelos cânceres de mama, pulmão ou estômago.

A elevada prevalência da infecção é que faz do HPV um problema de grande impacto em saúde pública.

Sendo as vacinas contra o HPV a única forma eficaz de prevenção primária. a vacinação de meninas pré-púberes justifica-se não só por se tratar de um grupo não-infectado pelo HPV, mas também por oferecer o máximo de proteção durante a adolescência, período de maior risco de aquisição e persistência de infecção.

Para que as adolescentes (entre 11 e 13 anos de idade) estejam devidamente protegidas contra o câncer do colo do útero, deverão tomar três doses da vacina contra HPV.

Desde 2006 a ANVISA liberou no Brasil a vacina contra HPV para ser utilizada em mulheres, com idade entre 9 e 26 anos e somente oito anos mais tarde ela é disponibilizada gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde e Escolas Públicas e Privadas, podendo agora beneficiar adolescentes em todo o Brasil, independentemente de sua condição social e econômica. É direito social evidenciado para aqueles que nunca teriam tal oportunidade.

Entendemos que a disponibilização desse recurso é fruto de intensas pesquisas em prol da defesa da vida, uma vez que o câncer de colo do útero manifesta-se a partir da faixa etária de 25 a 29 anos, aumentando seu risco até atingir o pico na faixa etária de 50 a 60 anos, deixando muitas famílias privadas de suas mães, irmãs, tias, avós, além de muitos órfãos.

Cremos que em Cristo estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência (Cl 2.3) e que aprouve a Ele liberar esse conhecimento para proteção de milhões de adolescentes nos nossos dias.

Médicos de Cristo
Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1008 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.