Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Prateleira

É Carnaval. Viva a transgressão

"Ai que vida boa olerê... O estandarte do sanatório geral vai passar..."

Dizem que na Bahia o Carnaval não começou antes. Na verdade, ele não acabou... Talvez seja por essas e outras que, há exatos 450 anos, no Carnaval de 1557, quarenta anos depois da Reforma e onze anos depois da morte de Lutero, saiu em Marburg, Alemanha, a primeira edição do livro Descrição Verdadeira de um País de Selvagens, do alemão Hans Staden. Trata-se de um dos documentos mais preciosos e confiáveis da etnografia brasileira. Hans Staden era profundamente religioso e a publicação da sua obra é um dos primeiros desafios e clamores missionários da terra de Santa Cruz. Para conhecer mais, leia A demora protestante, na edição 264 de Ultimato.

Pasmem, até o frade capuchinho, membro-fundador da Sociedade de Teologia e Ciências da Religião do Brasil, tem uma, digamos, receita para o Carnaval: “Quem quiser fazer sinceramente teologia no Brasil precisa começar por encarar a herança e a matriz da fé e da religiosidade barroca, xamanística, mágica, curandeira, sincrética, de alta racionalidade simbólica, capaz de transfigurar o feio em bonito, a ilusão em sabedoria, o sofrimento em esperança, a dor em riso, a pobreza em glória, ainda que seja nos quatro dias de Carnaval [...].”

Carnaval também é tempo de idiossincrasias, da legitimação do vulgar e de clandestinidades. Nas palavras do psicólogo Ageu Heringer Lisboa, tempo da “glamourização do transgressivo” e da “carnavalização de tudo [...]. A sexualidade não acontece no vazio. Ela dialoga com a cultura, seus códigos e rituais. E cada pessoa é também construtor do seu próprio futuro sexual. É preciso lembrar, no entanto, que tanto a natureza como a cultura estão subordinadas ao Deus de toda a criação”.

Para terminar, vale citar as palavras de Chico Buarque em Vai passar:
[...]
E um dia, afinal
Tinham direito a uma
alegria fugaz
Uma ofegante epidemia
Que se chamava carnaval
O carnaval, o carnaval
[...]
Ai, que vida boa, olerê
Ai, que vida boa, olará
O estandarte do sanatório
geral vai passar. 


Leia o livro
Sexo: Espiritualidade, Instinto e Cultura, de Ageu Heringer Lisboa
A Espiritualidade na Prática, de Paul Stevens

Leia o que Ultimato publicou sobre o assunto
Edição 264 de Ultimato, A História da Evangelização do Brasil 
É diretor editorial da Ultimato.
  • Textos publicados: 173 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Prateleira

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.