Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

ONU alerta: mudanças climáticas podem se tornar irreversíveis

Usina a carvão em Kosovo polui o ar. Foto: World Bank/L. AliuO Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) lançou, neste domingo (02), o "Relatório Síntese do Quinto Relatório de Avaliação" da instituição. O documento alerta que as mudanças climáticas, se não forem controladas logo, vão aumentar a probabilidade de impactos graves, invasivos e irreversíveis para os ecossistemas, ao mesmo tempo em que ressalta a influência “clara e crescente” do ser humano no clima.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, participou do lançamento na capital da Dinamarca, Copenhague, e lembrou as participantes que se o mundo continuar agindo da maneira atual no que se refere às mudanças climáticas, a oportunidade de manter o aumento da temperatura global abaixo da meta internacional de 2 graus Celsius não será mais possível em menos de dez anos.

“Com este último relatório, a ciência se pronunciou novamente e com ainda mais clareza. O tempo não está do nosso lado, os líderes precisam agir”, declarou Ban.

Classificando o relatório como a “avaliação mais abrangente sobre mudanças climáticas já realizada”, o secretário-geral pediu que o mundo se mobilize, dizendo que “mesmo se pararmos as emissões amanhã, continuaremos lidando com as mudanças climáticas por algum tempo”. Ban disse também que o mundo não está preparado para os riscos das mudanças climáticas, destacando os mais pobres e vulneráveis, que são os que menos contribuíram para a potencialização deste problema e, ao mesmo, suas maiores vítimas.

“A boa notícia é que se agirmos agora, teremos condições de construir um mundo mais sustentável”, afirmou, explicando que as ações rápidas e decisivas se baseiam em tecnologias e ferramentas já disponíveis para colocar “o mundo nos trilhos certos”. O secretário-geral da ONU afirmou que fontes de energia renováveis são cada vez mais competitivas economicamente e já comprovaram seu valor. “Foi-se o mito de que a ação climática seria cara; a inércia vai custar muito mais caro”, acrescentou.

O relatório volta a confirmar que as mudanças climáticas estão sendo registradas em todo o mundo e que o aquecimento global é inevitável.

“Nossa avaliação considera que a atmosfera e os oceanos têm aquecido, a quantidade de neve e gelo tem diminuído, o nível do mar subiu e a concentração de CO² aumentou para um patamar não registrado em pelo menos 800 mil anos”, disse o co-presidente do grupo de trabalho responsável pelo documento, Thomas Stocker.

O chefe do IPCC, Rajendra Pachauri, ressaltou que os meios para limitar as alterações climáticas existem. “As soluções são muitas e permitem a continuação do desenvolvimento humano e econômico. Tudo o que precisamos é ter vontade de mudar”.


-- Com informações da ONU Brasil. Legenda: Usina a carvão em Kosovo polui o ar. Foto: World Bank/L. Aliu.
Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1008 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.