Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Aliança Evangélica Mundial classifica como covarde, sem sentido e desumano o assassinato de estudantes cristãos no Quênia

Repercutiu no mundo todo o ataque terrorista ocorrido na última quinta-feira, 02/04, em uma universidade no Quênia, que resultou na morte de 148 estudantes cristãos, segundo informações oficiais. A Comissão de Liberdade Religiosa da Aliança Evangélica Mundial fez uma declaração sobre o atentado e convocou as autoridades internacionais a se juntarem “para derrotar o terrorismo, cooperando uns com os outros e tratando o fim do terrorismo em todos os países como um objetivo comum”.

O Diretor Executivo, Godfrey Yogarajah, da Comissão de Liberdade Religiosa da Aliança Evangélica Mundial (WEA-RLC, sigla em inglês) disse ainda que o ataque não pode ser visto de forma isolada. Para ele, grupos como a Al-Qaeda, Estado Islâmico (ISIS) e Boko Haram, são grupos terroristas transnacionais e que parecem competir uns com os outros para manter sua relevância. O diretor da WEA-RLC enfatizou que os cristãos precisam orar pelos sobreviventes, governos e pelas organizações internacionais que estão comprometidas a erradicar o terrorismo.

O grupo islâmico radical Al-Shabaab, que tem elos com a rede Al-Qaeda, assumiu a autoria do atentado. O Al-Shabaab tem base na Somália e vem promovendo ataques contra o Quênia desde 2011, quando tropas quenianas entraram no sul da Somália para combater os militantes do grupo. Este é segundo ataque do Al-Shabaab no Quênia. Em 21 de setembro de 2011, integrantes do grupo dispararam contra civis em um shopping center em Nairóbi, capital do país, deixando pelo menos 68 mortos e 175 feridos. Estima-se que Al-Shabaab matou pelo menos 400 pessoas e feriu mais de mil em mais de 100 ataques nos últimos quatro anos.

147 não é apenas um número – Antes de o número oficial de mortos ser elevado para 148, no domingo, a queniana Ory Okolloh Mwangi iniciou uma campanha nas redes sociais com a hashtag #147notjustanumber (147 não é apenas um número). Ela disse ao Wall Street Journal que a iniciativa foi "um esforço para humanizar as vítimas do terror". Segundo o The Guardian, a partir da hashtag #147notjustanumber, que foi mencionada mais 50 mil vezes no Twitter, amigos e parentes postaram fotos e informações das vítimas do atentado – a maioria tinha entre 19 e 23 anos.

Com informações da Aliança Evangélica Mundial e The Guardian
Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1133 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.