Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Prateleira

Envolvidos com a Igreja Perseguida

Mais de 100 milhões de cristãos vivem situações de perseguição religiosa em todo o mundo. No dia 19 de junho, eles serão lembrados de forma especial por muitas igrejas brasileiras em função do Domingo da Igreja Perseguida (DIP), movimento promovido pela Missão Portas Abertas. O objetivo do DIP é “levar as igrejas ao redor do mundo a se envolverem e passarem momentos dedicados à lembrança da Igreja Perseguida, unidas, como parte do Corpo de Cristo”.

Durante toda esta semana Ultimato dedicará espaço para relembrar artigos relacionados ao assunto e compartilhar informações relevantes não só para um dia, mas para todo o ano.

O trecho que transcrevemos a seguir é o primeiro da série de artigos que serão visitados – ou revisitados, em alguns casos – nesta semana. Ele foi publicado na edição 311, de 2008, e é de autoria de D. Bastos, diretora da Interserve Brasil-CEM. Trata-se da história de duas cristãs de Cartago, região que hoje conhecemos como Tunísia, assassinadas pela declaração pública de fé em Cristo.

“Era o início do terceiro século. O Império Romano tinha se fortificado em toda a região do Mediterrâneo. A sociedade gozava de estabilidade e privilégios — entre eles o de assistir aos jogos.

O anfiteatro era o local construído para a realização dos jogos. Compunha-se de uma estrutura oval, com algumas jaulas laterais para as feras, a arena no centro e um pequeno templo debaixo da arena. Ali, os gladiadores pediam as bênçãos dos deuses romanos para suas lutas, ao mesmo tempo em que os condenados aguardavam sua sentença. Ao redor da arena, havia uma espécie de arquibancada para o público assistir confortavelmente aos espetáculos.

Naquela época, o imperador Sétimo Severo baixou um edito segundo o qual todos deveriam oferecer sacrifícios aos deuses romanos e ao próprio imperador. O infrator era sentenciado, juntamente com outros criminosos.”

Leia mais aqui.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Prateleira

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.