Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

5 fatos sobre os budistas

Abril e maio são meses de festa em países da Ásia que celebram o aniversário do príncipe Siddharta Gautama, mais conhecido como Gautama Buda e fundador do budismo. Acredita-se que Buda tenha nascido há aproximadamente 2.500 anos na região do Nepal. Os países que comemoram a ocasião com feriados nacionais, festivais e eventos em templos budistas são Japão (8 de abril), Coreia do Sul (12 de maio) e Índia e Nepal (18 de maio).

Publicação recente feita por Pew Research Center revela cinco fatos sobre os budistas ao redor do mundo:

1. Em 2015, os budistas eram cerca de 7% da população mundial, mas o número pode diminuir em função das taxas de fertilidade relativamente baixas em comparação com outros grupos religiosos. O número dos seguidores de Buda pode baixar para cerca de 5% até 2060.

2. Metade dos budistas do mundo vivem na China onde representam apenas 18% da população do país. A maioria do restante dos budistas do mundo vive no leste e sul da Ásia, incluindo 13% na Tailândia (onde 93% da população é budista) e 9% no Japão (35% budista). Apenas cerca de 1,4% dos budistas do mundo vivem em países fora da Ásia. Porque o budismo na Ásia é uma questão de identidade e prática, muitas pessoas do continente podem se envolver em práticas budistas sem se considerarem parte de qualquer religião organizada.

3. Embora haja concordância a respeito do local de nascimento de Siddharta Gautama – no atual Nepal – e da região em que ele ensinou – na atual Índia – sabe-se que o budismo é uma religião minoritária nestes dois países: apenas 1% dos indianos e 10% dos nepaleses se identificam como budistas. Nestes dois países, a grande maioria da população identifica-se como hindu.

4. Os budistas compõem cerca de 1% da população adulta nos Estados Unidos e cerca de dois terços dos budistas americanos têm ascendência asiática. Entre os americanos asiáticos, 43% dos americanos vietnamitas e 25% dos nipo-americanos se identificam como budistas. Os demais se identificam como cristãos ou sem filiação religiosa.
 
5. Com uma média de idade de 36 anos, os budistas são mais velhos do que a população mundial, que tem em média 30 anos. Eles também são mais velhos do que as pessoas de outros grupos religiosos: os muçulmanos têm em média 24 anos de idade, os hindus, 27 e os cristãos, 30 anos.

--

A influência do budismo – inclusive sobre a teologia – está mais próxima de nós do que nunca.

Para David Burnett, autor de Budismo – uma abordagem cristã sobre o pensamento budista, para se comunicar de maneira significativa com os que seguem a tradição budista é preciso compreender o fascínio dessa religião singular.

Em seu livro, Burnett apresenta a origem, a expansão e as diversas expressões do budismo ao redor do mundo e ajuda a refletir sobre questões como: O que é o budismo? Quem são os budistas? Os valores do budismo são o mesmo do evangelho? Como os cristãos podem responder ao budismo?

Leia mais:
» Buda de pernas cruzadas e Jesus de braços abertos
» Jesus ou Buda: que diferença faz?

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.