Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

As muitas Teologias

Todos nascemos teólogos. Fazemos Teologia enquanto refletimos sobre os fatos que nos cercam e formulamos perguntas existenciais que parecem sempre sem respostas satisfatórias. Porém, numa época cada vez mais encharcada de virtualidade e instantaneidade, a ciência que um dia foi considerada a mãe de todas as ciências vai sumindo aos poucos da academia e até, pasmem, das igrejas, lugar em que ela, por séculos, ousou explicar o inexplicável.

O século XX certamente foi o que mais "produziu" teologias, as chamadas "teologias radicais", muitas delas influenciadas por filosofias humanistas. Numa busca incansável de formular explicações às idiossincracias dos homens e de suas intervenções, muitos se dedicaram de maneira mais profícua a entender a mente de Deus e a fazer a ponte entre ela e o coração humano, ou seja, fazer a "religare", fazer a religião. Terão estas mentes elevadas alcançado tal objetivo? Ou, ao contrário, complicaram mais ainda o "psiquê" do homem moderno deixando-o mais distante do Criador? A seguir, veremos algumas delas,

Teologia da Crise ou Dialética – Seus principais representantes, Karl Barth e Emil Brunner, viam na revelação geral de Deus o apropriado e necessário ponto de contato entre o ser humano caído e a graça divina. Rejeitando completamente qualquer possibilidade humana de chegar naturalmente ao conhecimento de Deus, defendiam a necessidade de uma decisão pessoal contra ou a favor de Jesus Cristo. Brunner contestava tendências da velha ortodoxia que corria o risco de privilegiar a doutrina em detrimento do encontro pessoal com Deus em Jesus Cristo, algo que ele denomina de "teologismo";

Teologia da Libertação - Corrente nascida na América Latina depois do Concílio Vaticano II que parte da premissa de que o Evangelho exige a opção preferencial pelos pobres e especifica que a teologia, para concretar essa opção, deve usar também as ciências humanas e sociais. Teve no padre católico Leonardo Boff seu grande expoente e veio a influenciar o mundo protestante que acabou por criar sua própria vertente conhecida como Teologia da Missão Integral;

Teologia Negra - Surgiu entre cristãos ecumênicos que lutavam pela igualdade dos negros nos Estados Unidos na conturbada década de 60, à época do pastor batista Martin Luther King. Ela combatia a forte tendência europeizante e de embranquecimento na teologia, defendendo que é preciso uma espiritualidade integrada aos corpos, aos corpos negros violentados e mortos nas periferias;

Teologia do Processo – Desenvolvida por Charles Hartshorne, filósofo americano que fora influenciado por Alfred Whitehead, que por sua vez, desenvolveu a Filosofia do Processo, cuja ideia principal era que o mundo é dinâmico, estando sempre em constante processo de transformação. Segundo ele, até Deus está sujeito ao porvir. Deus "não é um ser, e sim uma força dinâmica por detrás da evolução, emergindo sempre em tudo, tanto na história como na natureza". Tal sistema foi bastante influenciado pelo evolucionismo de Charles Darwin;

Teologia da Cultura
- Segundo Paul Tillic, nascido na Prússia, "a religião, considerada preocupação suprema, é a substância que dá sentido à cultura, e a cultura, por sua vez, é a totalidade das formas que expressam as preocupações básicas da religião". Neste contexto, encontramos sua célebre citação: "Religião é a substância da cultura e a cultura é a forma da religião". Sustentava que tudo que o homem faz, até o ateu, é para Deus, portanto, ninguém pode fugir de Deus;

Teologia da Esperança - Para Jürgen Moltmann, seu fundador, a esperança cristã é criativa: "Nós não somos só interpretes do futuro, mas já os colaboradores do futuro, cuja força, na esperança como na realização, é Deus". De inclinação marxista e com forte ênfase escatológica, esse teólogo alemão falava, de maneira confusa, de um futuro que vem de Deus e que era conhecido por antecipação em Cristo;

Todas essas teologias foram tentativas de explicar a ação de Deus na história do homem, principalmente diante das tragédias e fracassos do século ora citado. Diante desse grande "mercado", fico com a Teologia da Cruz. Para Lutero, "no Cristo crucificado é que estão a verdadeira teologia e o verdadeiro conhecimento de Deus." A cruz de Cristo continua sendo ofensiva, como foi na época em que os primeiros cristãos começaram a falar dela como o caminho de Deus para a salvação. E nossa função, como a de João Batista, é apontar para Jesus Cristo crucificado – "Olhem o cordeiro de Deus!". Finaliza o reformador alemão: "É a teologia que propõe que a cruz é a única fonte de conhecimento sobre quem é Deus e como Ele salva em contraste com a teologia da glória, que enfatiza as habilidades e a razão humanas". Fico com Hebreus quando afirmou: "Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o Universo" (Hb 1.1-2).

Tony
faos.ead@gmail.com
BrasÍlia - DF
Textos publicados: 38 [ver]
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.