Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Seções — Pastorais

Jeremias com a síndrome de Burnout?




Pastorais nº 103


A certa altura de seu abençoado ministério de quarenta anos, no século 6 antes de Cristo, o profeta Jeremias teve uma crise de vocação do tamanho do céu. Ele chegou a pensar em não falar mais em nome de Deus (Jr 20.9). Em outras palavras, o profeta poderia ter dito: Vou desistir, vou renunciar, vou entregar minhas credenciais, vou me aposentar, vou para um convento na Arábia ou fugir para o Egito, vou tomar um navio para Társis, vou voltar para minha casa em Anatote, vou fazer uma pós-graduação em esgotamento nervoso no exterior, vou casar e ter filhos. Se Jeremias vivesse hoje, um profissional de saúde mental poderia dizer que ele esteve bem próximo da síndrome de Burnout, mas não chegou a ser atingido pelos problemas decorrentes dela. Surpreendentemente, o profeta conseguiu driblar o problema e continuar o seu ministério. A jornalista Elsie Cunha Gilbert lembra que Jeremias “não ficou calado, soube se expressar e gritar a sua dor, nem atribuiu a si mesmo o fardo de não ter que ser bem-sucedido, pois o que Deus exigia dele não era o sucesso, mas fidelidade à vocação divina”. Segundo o médico Drauzio Varella, a principal característica da síndrome de Burnout é “o estado de tensão emocional e estresse provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes, que se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso”.

 

As pessoas mais cuidadosas e bondosas não fariam juízo temerário de Jeremias, especialmente as que tivessem lido recentemente o livro de sua história e profecias. O profeta era cercado de indivíduos que zombavam e caçoavam dele o dia inteiro. Ele ouvia os cochichos que faziam por trás: “Lá vai o pregador do perigo por todos os lados”. Até os seus amigos íntimos torciam para que ele tropeçasse em alguma área para então o pegarem. O homem de Anatote era repetidas vezes ameaçado de morte. O maior desgaste de Jeremias, porém, era provocado pela recusa do povo em aceitar a sua mensagem da parte de Deus e as consequências que esse comportamento traria, a maior delas a tomada de Jerusalém pela Babilônia em 587 antes de Cristo. Ele sofria muito e chorava muito. Uma vez, o profeta desabafou: “Durante 23 anos, desde o décimo terceiro ano de Josias até hoje, o Senhor vem me revelando a sua palavra. E durante todo esse tempo, diariamente, desde a madrugada, eu anuncio a todos vocês o que o Senhor me revela. Mas vocês nunca me deram ouvidos” (Jr 25.3, NBV).

 

Jeremias era tão extraordinário que ele apenas “pensou” em trancar a boca. Mas não o fez. Na verdade, ele não conseguiu deixar de falar em nome de Deus porque sua consciência não o permitia (Jr 20.9). Em outras palavras, o profeta diria: “Não consigo passar por cima de meu chamado, eu tenho apenas 23 anos; ai de mim se eu não anunciar a graça e o juízo de Deus, se eu me calar até as pedras vão gritar, não posso deixar meus colegas Habacuque e Sofonias sozinhos, vou acabar com essa conversa de que seria melhor eu ter morrido no ventre de minha mãe (Jr 20.14-18). Afinal, tudo posso naquele que me fortalece”.

 

Na pesquisa feita com 734 pastores americanos de quatro denominações, 139 deles (19%) deixaram o pastorado por causa da síndrome de Burnout. [Veja infográfico]. O problema acontece também no Brasil e em outros países. Tanto entre pastores e pastoras como entre missionários e missionárias. Todos são tão humanos como Jeremias e a caminhada é tão difícil hoje como era ontem. Jeremias pode ser um modelo para todos nós! Precisamos aprender com o profeta a lidar com o problema!

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.